TGM / Geradores de grande porte recebem flexibilidade nas operações

Print Friendly, PDF & Email

Na geração de energia elétrica em termelétrica são utilizados vários equipamentos como caldeira, turbina, redutor, gerador, painel e sala de controle. Cada um tem suas particularidades e a integração total entre eles faz de um ciclo de conversão de energia, de térmica em mecânica e mecânica em elétrica.

Os conceitos apurados e aplicados pela TGM no ciclo de geração de energia elétrica em mais de 250 turborredutores propiciaram uma evolução sistemática que culminou no desenvolvimento e instalação da linha SuperTurbo, cujo redutor foca, especialmente, na eficiência e na confiabilidade operacional aplicados com potência de até 60 MW.

Este equipamento carrega características consagradas na linha RTS, possui dimensionamento robusto e é instalado com a linha TGM de Acoplamentos Flexíveis – GearFlex. A solução SuperTurbo com acoplamento flexível é segura e garante a operação em alta performance ao compensar os esforços externos que provocam desalinhamentos angulares, de paralelismo e axiais entre os eixos dos turbogeradores.

Os acoplamentos de engrenagens, desenvolvidos e patenteados pela TGM, podem ser aplicados em turborredutores de qualquer fabricante e estão disponíveis nos modelos F e T, que permitem a utilização em instalações flangeadas, alterando apenas o acoplamento do redutor. Os demais componentes e as bases de instalação permanecem inalterados.

Para José Paulo Figueiredo, diretor de Engenharia da TGM, os turborredutores são considerados equipamentos especiais quando se fala em redutores para geração de energia. ”Em quase todas as aplicações são os redutores que recebem os esforços do conjunto, principalmente, das variações decorrentes de carga e dos outros equipamentos. Por conta disso, foi necessário desenvolver uma máquina específica para esta aplicação”, afirmou.

Dentre as unidades que operam com a linha SuperTurbo com desempenho excepcional está a Usina São Francisco, localizada em Sertãozinho, SP. “A UFRA contratou a EMPRAL para que o corpo técnico da empresa juntamente com a equipe TGM analisasse o turbogerador. Após análises, concluíram que existiam fatores externos nos turborredutores que levavam às irregularidades operacionais. Diante disso, foi instalado o acoplamento flexível, entre o gerador e o redutor, desenvolvido pela TGM”, comentou Jairo Balbo, diretor da Usina.

O diretor disse ainda que “após a instalação do acoplamento, foi corrigida a irregularidade, visto que na safra 2014/2015 o conjunto operou sem apresentar os problemas das safras anteriores. Assim, entendemos que os resultados obtidos por aplicação de acoplamentos flexíveis são bastante promissores e acreditamos ser a solução definitiva dos problemas que tivemos no passado”, concluiu Balbo.

Sobre a TGM
Sediada em Sertãozinho, SP, a TGM constitui as Unidades de Turbinas, Transmissões e Serviços, possui também outras três empresas sendo em Maceió, AL, em São José dos Campos, SP e em Nürnberg, na Alemanha e está presente em mais de 40 países com mais de 550 clientes atendidos anualmente. Com infraestrutura e tecnologia avançadas, equiparadas às maiores fábricas do mundo, a TGM é considerada a maior empresa da América Latina no segmento de turbinas a vapor, redutores e serviços. Em equipamentos novos são mais de 1.000 turbinas, 1.300 redutores planetários e 550 redutores de eixos paralelos fabricados. Em serviços como revisão, recuperação, modernização e outros mais de 2.800 turbinas, 2.000 redutores planetários e 1.000 redutores de eixos paralelos passaram pela TGM.   Assessoria de imprensa

 

Veja Também

Maturador de ponta é alternativa para mitigar impactos de mudanças climáticas e elevar a qualidade da matéria-prima

Conforme fabricante, solução também resulta em ganhos expressivos de ATR às unidades produtoras de açúcar, …