Semente de cana, cada vez mais próxima de chegar ao campo

Print Friendly, PDF & Email

Durante a programação da Conferência Internacional Datagro, o futuro da cana-de-açúcar foi um tema em destaque. O Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) apresentou os cenários da pesquisa e implementação da semente de cana. Segundo o diretor do Centro, Felipe Andrade, o modelo atual de plantio de cana é ineficiente.  Existe uma necessidade de material genético muito elevada além de exigir o uso de muitos equipamentos e insumos, onerando muitos os custos de produção da planta. Para eliminar esse gargalo, o CTC vem fazendo há 10 anos pesquisas para o desenvolvimento de uma nova tecnologia de plantio. Trata-se da semente de cana, produzida via clonagem.

Segundo o executivo, há várias vantagens na semente de cana. As principais são: ganho elevado na produtividade e redução de custos. Além disso, há uma enorme qualidade da sanidade do material genético, simplificação operacional, aumento da eficiência de plantio e liberação da área de viveiros para plantio comercial. Essa nova realidade no plantio vai ainda facilitar as operações do produtor, poupando área para plantio e facilitando a logística.

A semente de cana, ao lado de novas variedades, poderá trazer ganhos de produtividade ao ponto de dobrar a produção de cana no Brasil até 2030.  O projeto deve dar mais um passo significativo em 2023, quando começará o primeiro projeto-piloto de plantio da cana semente em usina.

Canal-Jornal da Bioenergia

Veja Também

Cana-de-açúcar supera sozinha média mundial de renovabilidade na matriz energética

A cana-de-açúcar é a principal fonte primária de energia renovável do Brasil. Com 16,9% de …