Produção de etanol e a crise imposta pela Covid 19

Print Friendly, PDF & Email

Especialistas e entidades do setor sucroenergético analisam que a produção global de etanol deve ser 20% menor este ano, à medida que o mercado atravessa a crise gerada pela Covid-19, enquanto a retomada da produção aos níveis pré-pandemia não deve se concretizar até 2022. Segundo Brian D. Healy, diretor de desenvolvimento de mercado global de etanol do Conselho de Grãos dos EUA , cerca de 23 bilhões de litros em produção de etanol foram perdidos em 2020, com o fechamento de mais de 250 usinas de etanol em todo o mundo. Brian participou da Conferência Internacional Datagro 2020, que acontece essa semana, cem por cento virtual.

A produção brasileira de etanol deve totalizar 31,35 bilhões de litros em 2020. O volume representa queda de 16% ante 2019, quando a produção somou 37,38 bilhões de litros. A expectativa de menor produção se deve ao mix menos alcooleiro adotado pelas usinas do Brasil por causa dos efeitos da pandemia de Covid-19.

De acordo com dados da IEA, a produção global de biocombustíveis para transporte atingiu em 2019 o recorde de 162 bilhões de litros, ou 2,8 milhões de barris por dia. Para 2020, estima-se que a produção tenha uma queda de 20 bilhões de litros (13%), voltando aos níveis de 2017. Antes do início da pandemia de COVID-19 era previsto que a produção aumentasse em mais de 5 bilhões de litros (3%) este ano. Isso é consequência da atividade econômica reduzida.

Canal-Jornal da Bioenergia