ilustração

Meio ambiente precisa de muito mais energia limpa e renovável

Print Friendly, PDF & Email

A edição 2017 do estudo REN21 Renewable Energy Global Status Report, divulgada em junho, mostra que as emissões globais de CO2 relacionadas com o setor energético provenientes dos combustíveis fósseis e da indústria permaneceram estáveis pelo terceiro ano consecutivo. Mesmo com  o crescimento da produção industrial houve essa estabilidade. Segundo o REN21, o declínio do uso do carvão é uma das causas e também o crescimento da capacidade de energia renovável e das melhorias na eficiência energética.

O estudo aponta ainda que, apesar desse aspecto positivo, a transição energética não está acontecendo rápido o suficiente para atingir as metas do Acordo de Paris. A saída dos Estados Unidos do pacto atrapalham ainda mais. Em 2016, os investimentos em novas instalações de energia renovável caíram 23% face a 2015. A maior baixa foi sentida nos mercados em desenvolvimento e emergentes, onde o investimento em energia renovável caiu 30%, para 116 bilhões de dólares. Nos países desenvolvidos, o investimento em novas instalações caiu 14% para 125 bilhões de dólares. O investimento continua a ser fortemente focado nas energias eólica e solar fotovoltaica, no entanto, o estudo defende que todas as tecnologias de energia renovável precisam ser utilizadas para manter o aquecimento global abaixo dos 2ºC até o fim do século.

Canal – Jornal da Bioenergia com dados da Solluar – Energia Solar