Laboratório do CTC pretende, em 10 anos, duplicar produtividade da cana

Print Friendly, PDF & Email

O novo complexo de laboratórios de biotecnologia do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) de Piracicaba (SP) pretende dobrar a produtividade da cana-de-açúcar e do setor sucroenergético até 2025. A estrutura, que desenvolverá pesquisas de melhoramento genético da planta, tem 1,4 mil metros quadrados e custou R$ 40 milhões. O local foi inaugurado na quarta-feira (14), com a presença da presidente Dilma Rouseff (PT) e do governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB).

O trabalho desenvolvido no laboratório para melhorar a genética da cana-de-açúcar também deve fazer o Brasil bater uma meta estabelecida pelo governo federal. Segundo a presidente, as novas tecnologias vão aumentar de 30 para 50 milhões de toneladas a contribuição do etanol na matriz de combustível do país.

“Temos uma vantagem, nenhum carro se move nesse país sem etanol. Nós estamos nos comprometendo em elevar de 30 para 50 milhões de toneladas a contribuição do etanol na nossa matriz de combustível. Agora que eu vi o nível de desenvolvimento científico e tecnológico desse laboratório, eu tenho certeza que nós vamos cumprir essa meta”, afirmou Dilma.

Mais energia

As atividades de tecnologia e inovação desenvolvidas no complexo vão permitir que o DNA da cana seja analisado e que experiências de modificação e cruzamentos criem variações mais resistentes às pragas, com mais teor de açúcar e tolerante a seca. Segundo o CTC, o aumento da produção também vai aumentar a oferta de alimento, etanol e energia para o país.

“Além de dobrar a produção do setor, o laboratório pretende aumentar a oferta de energia, alimento e etanol. As novas tecnologias também vão ajudar a reduzir a emissão de carbono e dos gases de feito estufa para 43%, que é a meta do governo federal”, disse o presidente do CTC, Gustavo Teixeira Leite.

Além de recursos do BNDES, a construção do Laboratório de Biotecnologia contou com verbas da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e do Plano de Apoio Conjunto à Inovação Tecnológica Agrícola no Setor Sucroenergético (PAISS).

Economia

Dilma Rouseff também acredita que acredita que a inauguração do novo complexo para aumentar a produção do etanol nos próximos dez anos vai contribuir para a retomada da economia.

“Eu tenho certeza que nós vamos fazer essa travessia para um novo ciclo de crescimento mais sustentável em busca da estabilidade econômica, do controle da inflação, mas também da formação de um grande mercado interno através da inclusão social”, explicou a presidente.

Melhoramento Genético

O melhoramento genético da cana-de-açúcar permite que variedades mais produtivas da planta, com maior teor de sacarose, tolerância à seca e resistência às pragas, chegue às indústrias do setor. A primeira delas deverá chegar ao mercado em 2017, segundo informou o CTC.

Ainda de acordo com o Centro, o emprego da biotecnologia evita possíveis perdas estimadas em R$ 4 bilhões por ano, além de gerar positivo impacto ambiental, pela diminuição do uso de agroquímicos e energia.

Já o emprego de marcadores moleculares permitirá a identificação de características desejáveis na cana-de-açúcar por meio da análise de seu DNA. Com isso, a realização de cruzamentos genéticos dirigidos capazes de promover melhoramentos mais rápidos, de acordo com o diretor de negócios de Melhoramento Genético do CTC. William Lee Burnquist. Portal G1

Veja Também

Abertura da Safra de Cana-de-Açúcar em Minas Gerais em Uberaba

A Companhia Mineira de Açúcar e Álcool (CMAA) em conjunto com a SIAMIG Bioenergia têm …