Carro elétrico será mais barato que a combustão na próxima década  

Print Friendly, PDF & Email

Aposta da indústria automobilística para o futuro da mobilidade, o carro elétrico já pode ficar mais barato que o a combustão em meados da próxima década. Essa é a aposta de Juan Manuel Hoyos, diretor de marketing da Nissan América Latina.

Para o executivo, os custos para homologação do carro a combustão ficarão cada vez mais altos em alguns países. Isso logo dará vantagem ao elétrico, que hoje tem preço equivalente ao de SUVs médios e grandes na maior parte do mundo.

A marca é líder mundial na venda de elétricos, com o Leaf. Em 2018, na Noruega, o carro foi o mais vendido do mercado, à frente de todos os modelos a combustão. O Leaf começa a ser vendido no Brasil no fim do primeiro semestre, com preço de R$ 178.400 e autonomia de até 363 km.

A Nissan está encarando o carro como o pontapé da ofensiva elétrica no Brasil, pois antes de o cliente aceitar, é preciso ter a tecnologia disponível para comprar. “Por ora, não estamos preocupados com o número de vendas, e sim com a imagem de marca”, diz Hoyos. “Mas sabemos que será carro de nicho no Brasil”.

De acordo com ele, a Nissan fez pesquisas no Brasil antes de decidir levar o Leaf. Elas apontam que 89% dos brasileiros estão dispostos a trocar o carro a combustão pelo elétrico. O levantamento, porém, não revelou ao cliente a faixa de preço do elétrico. “Apesar do preço, o Leaf oferece toda a tecnologia de ponta da Nissan, justifica. Biomassa & Bioenergia

Veja Também

ANP publica metas preliminares de redução de emissões de gases causadores de efeito estufa para 2024

AANP torna públicas as metas preliminares para 2024 de redução de emissão de gases causadores do efeito estufa aplicáveis a …