CIBiogás

Trator a biometano é testado e aprovado

Print Friendly, PDF & Email

Após um mês de testes no campo, o trator movido a biometano apresentado pela New Holland foi aprovado pelos produtores da Granja Haacke, em Santa Helena no Oeste do Paraná. “Como o biometano é produzido aqui fica muito mais fácil. E é um trator muito bom, gostoso e confortável. Acredito que vai ser um trator muito bom”, avaliou André Haacke em entrevista coletiva para dez veículos da imprensa. A propriedade é a primeira da América Latina a receber um dos cinco protótipos do novo trator existentes no mundo.

Com uma autonomia para aproximadamente seis horas de trabalho, o abastecimento a biometano garante uma economia de 40% em comparação ao diesel. Outro diferencial é a redução da emissão de gases poluentes em 80%. A expectativa da empresa é que dentro de quatro anos o novo modelo já esteja disponível no mercado. O período de testes na propriedade teve início em dezembro e está sendo encerrado. Entre os dias 6 e 10 de fevereiro o protótipo ficará exposto no Show Rural,  em Cascavel (PR), no estande da Itaipu Binacional.

A Granja Haacke foi escolhida para receber os primeiros testes justamente pelo histórico sustentável. Desde 2013 produz biogás para aproveitamento energético e em 2014 inciou a produção do biometano em parceria com o Centro Internacional de Energias Renováveis – Biogás (CIBiogás). Além de abastecer o trator e  uma caminhonete dos proprietários rurais, o biometano gerado na Haacke atende a frota com 54 veículos da Itaipu Binacional. Somente em 2016 foram realizados 934 abastecimentos que disponibilizaram 8.656 m³ de biometano para a frota da hidrelétrica.

O diretor presidente do CIBiogás, Rodrigo Régis, destaca que os bons resultados da Granja Haacke comprovam a vocação da região para a produção de biogás. “A nossa região não tem gás fóssil, mas tem o gás verde (produzido em biodigestores). Somente a produção do biometano da Granja Haacke poderia abastecer mais de 200 táxis de Foz do Iguaçu”, afirmou, acrescentado que o Paraná usa menos de 5% da capacidade de produção de biogás. “É um potencial fantástico.”

 

 

CIBiogás