SSA inaugura maior projeto de energia híbrida do Brasil

Print Friendly, PDF & Email

A indústria de alimentos São Salvador Alimentos (SSA) amplia os investimentos na expansão e modernização da sua fábrica em Nova Veneza (GO). O destaque neste ano é a construção do maior e mais tecnológico projeto de energia híbrida do Brasil, aplicado diretamente em um sistema industrial. O investimento total do foi de R$ 37 milhões, sendo R$ 22 milhões aplicados na usina fotovoltaica (UFV).

O sistema contará com a rede de energia da concessionária de distribuição de energia elétrica e outras duas fontes de geração própria conectadas junto à carga. Sendo uma usina fotovoltaica de 5,7 MWp e uma usina termoelétrica de 12 MW. Estas três fontes operam sincronizadas em paralelismo permanente e são controladas por um sistema de gerenciamento de energia extremamente confiável e tecnológico, com automação de alto nível.

A expansão do complexo industrial de Nova Veneza aconteceu em ritmo muito acelerado. Consequentemente, houve um incremento de potência elétrica que ultrapassou a capacidade da concessionária. Para não comprometer o seu cronograma de crescimento, a SSA implementou a solução de energia híbrida para suprir a sua demanda, até que se ajuste a disponibilidade do sistema da concessionária.

Pilares

Esta solução foi pautada em quatro pilares: sustentabilidade, confiabilidade do sistema eletroenergético, eficiência energética e payback atrativo. A lógica de operação do sistema híbrido prioriza a geração da UFV, que produz em média 650.000 kWh/mês. Toda essa geração é consumida instantaneamente enquanto demandada.

A concessionária assume a carga concomitantemente à UFV, fazendo um balanço energético entre a curva de geração com a curva de carga. Em último caso, a usina termelétrica é acionada, só ocorre quando a soma das duas outras fontes não supre a potência elétrica total demandada pelo complexo industrial.

A usina termelétrica é fundamental para garantir o fornecimento quando a concessionária e a usina fotovoltaica juntas não conseguem entregar potência elétrica. Ademais, o sistema híbrido atende as faltas de energia da concessionária, com capacidade de suprir 100% da carga. Neste cenário, a termelétrica entra como fonte principal, mas ainda opera em paralelo com a UFV.

“Com este projeto contribuiremos ainda mais com a bandeira da sustentabilidade, implicando em redução de impactos ambientais. Aumentaremos nosso nível de confiabilidade do sistema energético e eficiência energética. Com estes dois últimos pilares teremos ganhos econômicos relevantes, ganho de produtividade, melhora na qualidade de energia, ganho em vida útil dos equipamentos eletroeletrônicos, otimização da curva de carga e ganhos com manutenções corretivas”, afirma o CEO da SSA, Hugo Souza.

Aumento da produção

A estimativa da SSA é de um salto na produção diária da unidade de Nova Veneza, dos atuais 80 mil frangos/dia (abate) para 130 mil/dia até o final deste ano. Para  2024, a empresa prevê alcançar a capacidade de abate diário de 180 mil aves/dia. “A nossa planta em Nova Veneza, inaugurada no início de 2020, está entre as mais modernas da indústria de alimentos do Brasil. Seguimos sempre em busca da constante evolução e crescimento no mercado nacional, além de aumentarmos a nossa competitividade nos mercados externos”, enfatiza Hugo Souza.

O empresário afirma que os investimentos começaram neste ano com a ampliação da sala de máquinas da fábrica em Nova Veneza. Além da construção do novo túnel de congelamento de produtos, que vai abrigar até 32 mil caixas, a SSA também investiu no aumento da capacidade logística de entrada e saída de produtos da sua planta industrial. O incremento é de mais de 2,5 mil caixas por hora, o que vai dinamizar o processo de distribuição. Assessoria de imprensa

Veja Também

Com quedas de temperatura e proximidade do inverno, instalações de painéis solares seguem aquecidas no País

Pelo mapeamento da franqueadora, foram instalados cerca de 200 mil sistemas fotovoltaicos em telhados nos …