Senar Goiás recruta técnicos para Projeto ABC Cerrado

Print Friendly, PDF & Email

Com o objetivo de aumentar a abrangência da orientação repassada aos produtores que optaram pela produção sustentável no bioma cerrado, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás) está em busca de novos profissionais. Para isso, a entidade lança, nesta quarta-feira (23), um edital de recrutamento para selecionar 30 técnicos que ficarão responsáveis pela assistência técnica do Projeto ABC Cerrado. Entre os dias 4 e 15 de janeiro os interessados poderão efetuar as inscrições, levando, ou enviando por meio do Correio, a documentação necessária até a sede do Senar Goiás, na rua 87, setor Sul, em Goiânia.

Os candidatos serão avaliados por meio de seus currículos, suas titulações e experiências profissionais. Em seguida haverá uma prova para avaliar a habilidade técnica dos concorrentes. Os classificados receberão uma capacitação pela Embrapa, em Brasília, onde serão avaliados sobre seus conhecimentos, experiências adquiridas e desempenho com a assistência técnica.
O Projeto, como um todo, estrutura-se em três etapas: a primeira refere-se aos seminários de sensibilização já realizados em Goiás. A segunda tem por base as capacitações, onde o Senar Goiás executa, a partir de janeiro, os cursos referentes às tecnologias do Plano ABC. Ao todo, os interessados poderão participar de quatro treinamentos: Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, Plantio Direto, Floresta Plantada e Recuperação de Pastagens Degradadas, segundo o técnico-adjunto Leonnardo Cruvinel.

Por fim, a terceira etapa caracteriza-se pela assistência técnica, onde os produtores que desejam implantar as tecnologias em sua propriedade terão, a partir de julho de 2016, auxílio dos técnicos do Senar Goiás. O edital de recrutamento faz parte dessa última etapa do processo e objetiva selecionar esses técnicos.

ABC Cerrado
Sete estados brasileiros, cujos domínios encontram-se sob o bioma cerrado, participam do projeto, sendo eles: Bahia, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Piauí, Tocantins, além do Distrito Federal. Porém, apenas Goiás, Tocantins, Minas Gerais e Mato Grosso receberão a assistência técnica pelo período de 1 ano e meio.

Em si, o objetivo é disseminar práticas de agricultura de baixa emissão de carbono e, além disso, fazer com que produtores rurais se sensibilizem e passem a investir em sua propriedade de forma a ter retorno econômico, mas sempre pensando na preservação ambiental.

Tudo é feito com recursos do Programa de Investimento em Florestas (FIP), administrados pelo Banco Mundial, o Projeto ABC Cerrado, parceria entre o Senar, o Mapa e a Embrapa. A execução do projeto se estenderá até julho de 2017, quando se encerrará o recurso de US$ 10,62 milhões do Banco Mundial, após a data o Senar poderá definir e optar por dar continuidade ao projeto. No mesmo ano, relatórios contendo número de produtores atendidos, melhorias na produção e na redução na emissão de gases de efeito estufa, além dos índices alcançados, deverão ser apresentados ao Banco Mundial como espécie de contrapartida. Faeg

Veja Também

ORPLANA requer que produtores de cana recebam créditos outorgados de ICMS

Pleito se faz necessário visto que a concessão dos créditos foi instrumento de ajuste relativos …