Aneel

Seminário na Fapesp avalia Proálcool e oportunidades para bioenergia

Print Friendly, PDF & Email

Relatos sobre a história do Proálcool e da evolução do uso da cana-de-açúcar como principal fonte de bioenergia no Brasil serão apresentados por cientistas e especialistas em energia brasileiros, na Fapesp, em 30/11, no Seminário “Proálcool, universidades e empresas: 40 anos de ciência e tecnologia para o etanol brasileiro”.

A implantação do Proálcool, em 1975, promoveu a substituição da gasolina por álcool combustível, diminuiu a dependência brasileira do petróleo importado em um momento de crise e rendeu à ciência oportunidades de formar recursos humanos qualificados para a pesquisa científica e tecnológica com potencial de aumentar a competitividade interna e externa do etanol.

Hoje, o etanol combustível tem papel de destaque na matriz energética brasileira e contribui para os compromissos internacionais assumidos pelo Brasil para o desenvolvimento sustentado do planeta. Além disso, recentes estudos internacionais com a participação de cientistas brasileiros mostram evidências de que aumentar a escala de energia produzida a partir de biomassa, como o bioetanol, sob condições determinadas, não constitui uma ameaça à segurança alimentar e à biodiversidade e contribui para o desenvolvimento de uma economia de baixo carbono e para a mitigação das mudanças climáticas.

José Goldemberg, presidente da FAPESP, professor emérito da Universidade de São Paulo (USP), especialista em energia e defensor do uso de novas tecnologias para promover o desenvolvimento sustentável abrirá o Seminário com a conferência 40 Anos de Bioetanol no Brasil: do Balanço Energético à Sustentabilidade.

As palestras irão avaliar o momento atual do etanol e as oportunidades para a produção de bioenergia a partir da cana-de-açúcar. Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, falará sobre as iniciativas da Fundação na área de bioenergia; Gláucia Souza, do Instituto de Química da USP e membro da coordenação do Programa FAPESP de Pesquisa em Bioenergia (BIOEN-FAPESP), apresenta o trabalho desenvolvido pelo Centro Paulista de Pesquisa em Bioenergia (SPBioenRC, na sigla em inglês) – resultado de um convênio entre o Governo do Estado de São Paulo, FAPESP, USP, Unicamp e Unesp para aumentar a base científica de pesquisa em energia a partir de biomassa; e José Luiz Oliverio, da Dedini S.A., vai tratar da contribuição tecnológica da empresa para a produção e uso do etanol.

Na mesma data haverá a apresentação e lançamento do livro Proálcool 40 anos, por Luiz Augusto Barbosa Cortez, organizador da obra que destaca o papel central da pesquisa científica e tecnológica na concepção e desenvolvimento do programa. O trabalho de Cortez, coordenador de Relações Internacionais da Unicamp e do Núcleo Interdisciplinar de Planejamento Energético (Nipe), na universidade, também destaca no livro fatos relevantes ocorridos desde a implantação do Proálcool até a atualidade.

Mais informações e inscrições: www.fapesp.br/eventos/proalcool

Agência Fapesp

Veja Também

ANP publica metas preliminares de redução de emissões de gases causadores de efeito estufa para 2024

AANP torna públicas as metas preliminares para 2024 de redução de emissão de gases causadores do efeito estufa aplicáveis a …