Foto governo de Goiás

Safra de cana: moagem atinge 531 milhões de toneladas

Print Friendly, PDF & Email

A moagem de cana na segunda quinzena de novembro na região Centro-Sul totalizou 16,23 milhões de toneladas, registrando aumento de 318,75% em relação à quantidade registrada em igual período do ano passado, quando foram processadas 3,88 milhões de toneladas.

No acumulado desde o início da safra 2022/2023 até 1º de dezembro, a moagem atingiu 531,93 milhões de toneladas neste ano, ante 521,19 milhões de toneladas registradas no mesmo período de 2021 – um ligeiro avanço de 2,06%. A quantidade de cana-de-açúcar processada na atual safra já supera a moagem total registrada no último ciclo, quando 523,45 milhões de toneladas fecharam o balanço de oferta de matéria-prima, em 31 março de 2022.

Na segunda quinzena de novembro, 56 unidades produtoras encerraram a moagem de cana-de-açúcar no atual ciclo. No acumulado, o encerramento de safra atingiu 175 unidades até o final de novembro. No início da primeira quinzena de dezembro, 84 unidades estavam em operação no Centro-Sul frente às 27 empresas na safra 2021/2022. A expectativa indica que 23 unidades devem encerrar a safra nos primeiros quinze dias de dezembro.

Informações preliminares do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) para uma amostra comum de 27 unidades produtoras indicam que foram colhidas 67,9 toneladas por hectare em novembro de 2022, o que representa um aumento de 7,3% no rendimento agrícola da lavoura na comparação com o mesmo período na safra 2021/2022 (63,3 toneladas por hectare).

A qualidade da matéria-prima colhida na segunda quinzena de novembro, mensurada em kg de ATR por tonelada de cana-de-açúcar processada, avançou 4,27% na comparação com o mesmo período do último ciclo agrícola, registrando 139,87 kg de ATR por tonelada colhida. No acumulado da safra, ainda se observa uma queda de 1,31%, com o indicador marcando 141,12 kg de ATR por tonelada.

Produção de açúcar e etanol
A produção de açúcar na segunda metade de novembro totalizou 1,03 milhão de toneladas (+532,32%). No acumulado desde o início da safra 2022/2023, a fabricação do adoçante totalizou 32,94 milhões de toneladas, frente às 32,04 milhões de toneladas do ciclo anterior (+2,82%). A despeito do aumento na produção de açúcar, esse avanço segue em linha com a expansão da moagem, uma vez que se observado o indicador de quilos de açúcar por tonelada de cana, a variação é positiva em apenas 0,74%.

Na segunda quinzena de novembro, 887,26 milhões de litros (+148,05%) de etanol foram fabricados. Do volume total produzido, o hidratado alcançou 387,4 milhões de litros (+220,6%), enquanto a produção de etanol anidro totalizou 499,86 milhões de litros (+111%). No acumulado do atual ciclo agrícola, a fabricação do biocombustível totalizou 26,57 bilhões de litros (+1,3%), dos quais 15,32 bilhões consistem em etanol hidratado (-1,75%) e 11,25 bilhões em anidro (+5,78%).

Do total de etanol fabricado na quinzena, cerca de 22,2% ocorreram a partir do milho, que registrou produção de 196,81 milhões de litros, frente aos 157,52 milhões de litros no mesmo período do ciclo 2021/2022 – avanço de 24,94%. No acumulado desde o início da safra, a produção de etanol de milho atingiu 2,85 bilhões de litros – avanço de 26,29% na comparação com igual período do ano passado.

Vendas de etanol
Seguindo a trajetória observada em outubro, o mês de novembro registrou aumento nas vendas totais de etanol pelas usinas. No período em questão, as unidades produtoras do Centro-Sul comercializaram 2,43 bilhões de litros de etanol, o que representa um aumento de 17,76% em relação ao mesmo período da safra 2021/2022.

No mercado interno, o volume de etanol hidratado comercializado foi de 1,25 bilhão de litros, o que significa um aumento de 18,21% em relação ao mesmo período da safra anterior. As vendas domésticas de etanol anidro totalizaram 958,8 milhões de litros, registrando crescimento de 11,90%. No acumulado da safra, foram comercializados 10,83 bilhões de litros de hidratado domesticamente (-1,71%) e 7,27 bilhões de litros de etanol anidro (+6,15%).

As vendas para o mercado externo fecharam o mês de novembro com 221,70 milhões de litros (+48,06%) comercializados. O volume de etanol hidratado exportado no período atingiu 82,94 milhões de litros (-16%). Já as vendas de etanol anidro registraram 138,76 milhões de litros (+172,12%). No acumulado desde o início da safra, o volume de etanol exportado totalizou 1,73 bilhão de litros até novembro – um avanço de 51,21% em relação à safra 2021/2022.

Desde o início da safra 2022/2023, as unidades produtoras comercializaram 19,83 bilhões de litros de etanol, o que representa um avanço de 4,30% em relação ao mesmo período da safra anterior. Desse volume, as vendas de etanol hidratado totalizaram 11,48 bilhões de litros (-2,23%); já as de anidro, 8,35 bilhões de litros (+14,86%).

Mercado de CBios

Dados da B3 registrados até o dia 8 de dezembro indicam a emissão de 29,06 milhões de CBios em 2022. Até a data supracitada, a parte obrigada do programa RenovaBio havia adquirido cerca de 31,2 milhões de créditos de descarbonização.  Esse volume representa 87% da meta de aquisição total para o ano corrente. Unica

Veja Também

Cana-de-açúcar supera sozinha média mundial de renovabilidade na matriz energética

A cana-de-açúcar é a principal fonte primária de energia renovável do Brasil. Com 16,9% de …