Hermann Paulo Hoffmann

Renovação na direção da RIDESA

Print Friendly, PDF & Email

Houve mudança no comando da Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético (RIDESA). Em uma reunião ordinária, que ocorreu nas instalações da Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais (Andifes), em Brasília, no dia 21 de junho, a reitora da Universidade Federal de Viçosa (UFV), a professora Nilda de Fátima Ferreira Soares, foi indicada como a nova presidente do Conselho de Reitores da Rede.

Na mesma ocasião, o pesquisador Hermann Paulo Hoffmann, coordenador do Programa de Melhoramento Genético de Cana-de-açúcar (PMGCA) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), foi indicado como o novo Coordenador Nacional da RIDESA.

A ELEIÇÃO

A reunião foi conduzida pelo então presidente do Conselho e reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), o professor Zaki Akel Sobrinho, e pelo coordenador do Conselho dos Coordenadores da RIDESA, o professor e pesquisador Edelclaiton Daros, também da UFPR.

Foram deliberados diversos assuntos técnicos e administrativos. Discutiu-se o relacionamento entre as dez universidades que integram a Rede e estabelecidos os desafios para os próximos anos, mas a renovação da direção da RIDESA nacional foi o principal ponto da pauta.

A indicação dos nomes para a direção do Conselho de Reitores e do Conselho de Coordenadores da Rede foi por consenso, ficando com as seguintes composições:

– Conselho de Reitores:
· presidência: Profª Titular Nilda de Fátima Ferreira Soares, da UFV;
· vice-presidência: Prof. Dr. Orlando Afonso Valle do Amaral, da Universidade Federal de Goiás (UFG).

– Conselho de Coordenadores:
· coordenador geral: Prof. Dr. Hermann Paulo Hoffmann, da UFSCar;
· vice-coordenador geral: Prof. Titular Edward Madureira Brasil, da UFG;
· vice-coordenador geral: Prof. Dr. Geraldo Veríssimo de Souza Barbosa, da Universidade Federal de Alagoas (UFAL);
· coordenador de pesquisa: Prof. Titular Márcio Henrique Pereira Barbosa, da UFV.

Estiveram presentes na reunião os reitores das seguintes universidades: Federal do Mato Grosso (UFMT), Federal do Paraná (UFPR), Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Federal de Viçosa (UFV), e Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ).

Também participaram da reunião os coordenadores do programa de melhoramento de cana de nove universidades: UFMT, UFPR, UFRPE, UFV, UFRRJ, UFSCar, UFG, Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

GRANDES DESAFIOS

Para a professora Nilda de Fátima, assumir a presidência do Conselho de Reitores da Rede é uma grande honra, principalmente pela tradição que a UFV tem nas pesquisas com cana-de-açúcar no país. Mas também traz grandes desafios, como o próprio fortalecimento da Rede.

Ela considera algumas prioridades para o período em que estará à frente do Conselho de Reitores, como a incorporação à RIDESA de novos servidores. “Não só para a área administrativa, mas também de mais pesquisadores. Temos um grupo de servidores que vem do Planalsucar que já está se aposentando. Temos que renovar o nosso quadro de profissionais”, afirma a reitora.

Também perseguirá outro desafio: a busca de financiamento dos trabalhos desenvolvidos pelas universidades. “Precisamos de mais recursos que deem suporte às pesquisas e projetos que são realizados. A captação de recursos tem ficado a cargo do próprio pesquisador. Temos que sensibilizar não só o Ministério de Educação, como também outras pastas afetas, como os Ministérios de Agricultura e de Ciência e Tecnologia, da importância do investimento nas pesquisas com cana-de-açúcar.”

UNIDADE

Para Hermann Hoffmann, é uma grande satisfação dar continuidade ao bom trabalho feito pelo professor Edelclaiton Daros, que foi coordenador geral da Rede nos últimos anos.

“Vamos trabalhar para fortalecer a RIDESA e o relacionamento entre os programas de melhoramento das universidades que fazem parte da Rede, que por sinal já é afinado.” Na sua visão, é essencial sintonizar as competências e as particularidades de cada programa a favor da própria RIDESA. “O foco tem que ser a integração contínua, de modo que as universidades se complementem. Vamos trabalhar para que as dez universidades caminhem juntas, como se fossem uma só.”

Hermann é engenheiro agrônomo formado pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, da Universidade de São Paulo (Esalq/ USP). Tem Mestrado em Fitopatologia e Doutorado em Agronomia. Ingressou no Planalsucar (Programa Nacional de Melhoramento da Cana-de-açúcar) em 1977, trabalhando por vários anos na cultura da cana. Na UFSCar desde 1990, acompanhou de perto a criação da RIDESA.

Assessoria de imprensa Ridesa