Home » Bioenergia » RenovaBio: aprovada primeira certificação para duas usinas produtoras de etanol de MS

RenovaBio: aprovada primeira certificação para duas usinas produtoras de etanol de MS

Print Friendly, PDF & Email

Duas unidades do grupo Atvos, Santa Luzia e Eldorado, localizadas nos municípios de Nova Alvorada do Sul e Rio Brilhante, em Mato Grosso do Sul, foram certificadas pelo Programa Nacional de Biocombustíveis, o RenovaBio.

A aprovação é feita pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e foi atualizada na última quinta-feira (6) com a certificação das duas unidades sul-mato-grossenses. A partir desse momento, com a produção de etanol hidratado e anidro, as unidades já podem gerar os Créditos de Descarbonização, chamados de CBIOs.

Santa Luzia e Eldorado foram as primeiras do Estado a encerrarem as etapas de certificação do programa. De acordo com a ANP, atingiram as Notas de Eficiência Energético-ambiental para hidratado e anidro de 60,10 e 60,30 (gCO2eq/MJ) e 58,80 e 59,10 (gCO2eq/MJ), respectivamente. O volume elegível foi de 99,43% e 95,33% para cada unidade.

“O programa é uma ação efetiva para combater o aquecimento global, impulsionar uma matriz energética de transporte mais limpa e, consequentemente, melhorar a qualidade do ar nas cidades brasileiras. Ao incentivar a expansão do setor de biocombustível, impulsionamos a inovação tecnológica e a geração de emprego e renda. Toda a sociedade é beneficiada”, adianta Amaury Pekelman, vice-presidente de relações institucionais e sustentabilidade da Atvos.

O grupo Atvos ainda aguarda a certificação de outras cinco unidades espalhadas pelo País. A estimativa da empresa é gerar 2,5 milhões de CBIOs ainda este ano. As duas unidades certificadas no Estado devem gerar cerca 750 mil em créditos.

MS

Outras dezesseis usinas produtoras de etanol a partir da cana-de-açúcar no Estado continuam no processo para aderir ao RenovaBio. Importante lembrar as unidades passam por um processo exigente de levantamento de informações nas áreas agrícola, industrial e de distribuição. Com a certificação, são reconhecidas pelo baixo impacto ambiental e passam a gerar os créditos de descarbonização para comercialização no mercado financeiro.

O  presidente da Biosul, Roberto Hollanda Filho, recebeu a notícia com entusiasmo. “Ótimo ver as unidades do MS começando a ser certificadas. Apoiamos o RenovaBio desde o início, no final de 2016, por ser um programa de Estado, que reforça a posição brasileira como potência verde. Todas as demais unidades em operação no Estado também estão em processo de certificação”, afirma.

Produção de etanol

Mato Grosso do Sul, que na última safra ocupou a terceira posição entre os Estados produtores de etanol no País, destina mais de 80% da cana-de-açúcar para a produção de etanol. Na safra em andamento, o Estado já produziu 3,1 bilhões de litros (até 15 de janeiro) do biocombustível. Volume 1,45% maior que no mesmo período do ciclo passado.

Com a efetivação do RenovaBio, a expectativa do programa é que a produção brasileira de etanol dobre até 2030.

Impactos do programa

O RenovaBio busca aumentar a participação dos biocombustíveis na matriz energética de transportes do País valorizando a produção sem uso de terras desmatadas nos últimos anos. Uma das metas é a redução da emissão dos Gases Causadores do Efeito Estufa (GEE), firmada durante o Acordo de Paris (COP-21). Paralelo a isso, o programa deve gerar novo momento no setor da Bioenergia com a estimativa de gerar novos investimentos e mais de 1,4 milhão de novos empregos pelo País. Biosul