Leilão de Transmissão garante investimento de R$ 11,5 bi em novos projetos

Print Friendly, PDF & Email

O resultado do Leilão de Linhas de Transmissão realizado no último dia 28/10 envolve principalmente linhas que interligam as regiões Nordeste e Sudeste, e que vão permitir fazer chegar aos centros de cargas do Sudeste o potencial eólico e solar conectado na região Nordeste e Centro-Oeste do país.
Contemplam também diversos empreendimentos que não tiveram proponentes em leilões anteriores – a exemplo das obras associadas ao atendimento ao Pará (área de Belém) e ao Espírito Santo-, e que agora tiveram sucesso devido às medidas adotadas para este leilão.
Dos 6.800 km de linhas de transmissão disputados, cerca de 6.100 km tiveram sucesso de contratação, tendo sido todos os empreendimentos resultantes dos estudos realizados previamente pela equipe da Superintendência de Transmissão de Energia (STE) e da Superintendência de Meio Ambiente (SMA). A EPE atuou junto ao Ministério de Minas e Energia (MME) e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) durante todo o processo até o leilão, inclusive na estratégia de repartição dos lotes que foram disputados.
A equipe da EPE destaca também a dinâmica do leilão, já que o número de empreendedores habilitados a apresentar propostas era bem expressivo, incluindo o surgimento de novos players no mercado. Além disso, foram oferecidos bons deságios, chegando a 28% em um lote, e outros disputados por lances à viva voz, sendo um deles com 54 lances. O deságio médio final foi de cerca de 12%.
Em suma, o conjunto de medidas adotadas como o ajuste da receita anual permitida e ampliação do prazo para entrada em operação comercial possibilitaram um resultado bastante satisfatório, visto que 92% dos empreendimentos tiveram interessados, o que corresponde a cerca de R$ 11,5 bilhões em investimentos em transmissão de energia.
Para o presidente da EPE, Luiz Barroso, o resultado do leilão reflete “um primeiro e humilde passo do país em relação a um salto maior, tendo sido resultado do trabalho intenso de muita gente em diversas instituições para fazer dar certo”. Ele avalia que foi uma prova de credibilidade ao setor e um voto de confiança do mercado.
“Tivemos novos players e a concessão de reforços importantes para o sistema. Para o planejamento, o leilão não acabou na sexta, agora é trabalhar para garantir a implantação das linhas licitadas e utilizar lições deste leilão para aperfeiçoar os seguintes. Ainda há muito trabalho pela frente.”

 

 

 

EPE