Integração sustentável entre agricultura alimentar e energética

Print Friendly, PDF & Email

O Brasil é o melhor exemplo mundial de integração sustentável entre agricultura alimentar e energética, destacou o presidente da DATAGRO, Plinio Nastari, em transmissão online, realizada nesta quarta-feira (02), como parte integrante do 4º. Congresso Pacto pelo Brasil. “É a cana que vira alimento, etanol e eletricidade, os grãos que são ingredientes básicos da indústria alimentícia, que também viram carnes, rações, biocombustíveis, e assim por diante em uma escalada de agregação de valor”, ressaltou.

 

Também presente no evento online, o ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, acentuou que foi o desenvolvimento de uma tecnologia própria de produção agrícola tropical, baseada em Ciência, que transformou o Brasil de importador a garantidor da oferta doméstica e exportador de alimentos, fibras e energia renovável.  “É seguro afirmar que nos últimos 30 anos a produção agropecuária nacional, especialmente grãos, cresceu quatro vezes mais do que a área utilizada, num claro exemplo de inexorável avanço de produtividade.”

 

Segundo Nastari e Rodrigues, a pandemia da covid-19 fez emergir, uma vez mais, a importância da segurança alimentar interna e global, com o agronegócio brasileiro respondendo positivamente de maneira decisiva a este desafio ao assegurar o abastecimento interno e simultaneamente gerar excedentes exportáveis.

 

De acordo com os palestrantes, episódios de desmatamento ilegal e grilagem de terras, por exemplo, têm que ser encarados como questões criminais – absolutamente refutadas pelo agronegócio moderno e profissional. “É preciso que se cumpra a lei, o produtor rural brasileiro profissional não é agente desencadeador nem responsável por estas mazelas”, salientou Rodrigues. Datagro