Entrevista Senar Goiás/Educação profissional para o campo

Print Friendly, PDF & Email

Dirceu Borges é Superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural  (Senar-GO). É produtor Rural e zootecnista, graduado pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO). Tem vasta experiência em gestão, planejamento e controle agropecuário.

Canal – Jornal da Bioenergia: Com a pandemia, os cursos todos são à distância. Qual a principal dificuldade?

Dirceu Borges: O Senar Goiás, precavido em relação à pandemia, suspendeu os treinamentos presenciais de Formação Profissional Rural e de Promoção Social por  quatro meses, mas manteve a Assistência Técnica Gerencial de forma remota aos mais de 100 grupos de produtores assistidos e intensificou os 38 cursos de EaD da instituição.

A partir da segunda quinzena de julho foram retomados com os treinamentos no campo seguindo, rigorosamente, os protocolos de prevenção à Covid-19, através do distanciamento social, uso obrigatório de máscaras e álcool gel e testagem em massa de colaboradores e prestadores de serviços. A maior dificuldade foi na mobilização dos participantes e adequação da execução na nova realidade, mas com o empenho de todos foi possível mantendo a qualidade técnica e segurança a todos.

Canal: Para o Senar, qual a importância do profissional de qualificar?

Dirceu: Como a maior Escola do Campo, o Senar tem como missão “realizar a educação profissional, a assistência técnica e as atividades de promoção social, contribuindo para um cenário de crescente desenvolvimento da produção sustentável, da competitividade e de avanços sociais no campo”. Além disso, é sábio que a Formação Profissional Rural (FPR) e a Promoção Social (PS) levam em conta as mudanças, de todas as ordens, que ocorrem no mundo contemporâneo. As rápidas e crescentes inovações científicas, tecnológicas e econômicas alteram os processos de produção, o domínio dos conhecimentos, as relações de trabalho, a estrutura ocupacional (no que tange à FPR), a estrutura das atividades (no que tange à PS) e, consequentemente, os seus respectivos requisitos.

As ações da FPR estão intimamente associadas ao mercado de trabalho, nos seus aspectos de quantidade e qualidade, nas mudanças tecnológicas, econômicas e mercadológicas, visando ao equilíbrio entre a oferta e a demanda da força de trabalho, compreendendo a diversidade das atividades produtivas.

Canal: A inovação e transformação digital no agronegócio são os objetivos do Senar? Como são desenvolvidos com o público-alvo?

Dirceu: Com experiência de mais de 27 anos capacitando e formando o homem do campo, o Senar Goiás tem percebido a necessidade de levar esse público ao mundo digital. Notadamente por conta da necessidade do aprimoramento do produtor rural, seus familiares e colaboradores no uso das novas tecnologias, que possibilitam melhores oportunidades de comercialização, gestão financeira e dos processos de produção, além do aumento da qualidade de vida de quem vive no meio rural.

Em 2017, o Senar Goiás iniciou uma jornada estratégica de promoção da transformação digital no campo. Através da primeira edição do Programa Desafio Agrostartup, trouxe para o ecossistema de inovação do estado de Goiás e do Brasil várias propostas de startups, mostrando que o setor agro tem demandas importantes e, ao mesmo tempo, interessantes do ponto de vista de quem procura investimentos com retorno garantido.

Com o sucesso da primeira edição, o Desafio Agrostartup se repetiu em 2018 e 2019 no formato hackathon, evoluindo com experiências de participação em grandes eventos como a Campus Party 2019 e a criação de novos programas e estratégias. Em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), foi construído o CampoLab, um hub de inovação para o agro, com espaço físico dentro da Casa do Produtor em Goiás.

Em 2020, o Senar Goiás lançou o Programa ConectaCampo, que visa criar uma rede de produtores early adopters, adotantes pioneiros em português, com capacitação desses produtores e seus familiares nas novas tecnologias e termos importantes da inovação. Essa rede será responsável pela proposição e validação das novas tecnologias para o agro.

Canal: Quais os cursos mais procurados no Senar Goiás?

Dirceu: Em 2019 o Senar Goiás realizou 4400 treinamentos profissionalizantes no campo e, destes, os 20 mais realizados foram os seguintes, em ordem decrescente:

•             Operação e manutenção de tratores agrícolas

•             Solda elétrica

•             Avicultura básica

•             Inseminação artificial de bovinos de leite

•             Pilotagem de drones

•             Defumação artesanal de carnes

•             Doma racional de equinos

•             Prevenção de acidentes com defensivos agrícolas – nr 31.8

•             Olericultura básica

•             Rédeas de equinos

•             Operação e manutenção de motosserras

•             Aplicação de defensivos agrícolas – pulverizador autopropelido

•             Operação de GPS – máquinas agrícolas

•             Análise e classificação de grãos de soja e milho

•             Informática básica

•             Piscicultura

•             Segurança no trabalho em altura – nr 35

•             Prevenção de acidentes com máquinas agrícolas – nr 31.12

•             Operação e manutenção de colheitadeiras automotrizes

Canal:  Quais os mais indicados para quem procura se atualizar e conhecer um pouco mais do setor sucroenergético e solar? Há cursos nessas áreas?

Dirceu: O Senar Goiás tem sete treinamentos de Formação Profissional Rural exclusivos para o setor sucroenergético, sendo eles:

•             Corte manual da cana-de-açúcar;

•             Plantio manual da cana-de-açúcar;

•             Operação e manutenção de colhedora de cana-de-açúcar: MÓD.I: apresentação e segurança do trabalho;

•             Operação e manutenção de colhedora de cana-de-açúcar: MÓD. II: cabine de operador;

•             Operação e manutenção de colhedora de cana-de-açúcar: MÓD. III: sistemas e manutenções;

•             Operação e manutenção de colhedora de cana-de-açúcar: MÓD. IV: regulagem do industrial;

•             Operação e manutenção de colhedora de cana-de-açúcar: MÓD. V: manobras;

•             Operação e manutenção de colhedora de cana-de-açúcar: MÓD. VI: operação;

•             Plantio mecanizado de cana-de-açúcar.

Apenas em 2019 foram capacitados mais de 400 participantes nos treinamentos acima em todo estado.

Canal:  O Senar e Faeg desenvolvem o Programa de Capacitação de Jovens no Agro. Qual a importância de desenvolver os processos de sucessão familiar?

Dirceu: O Sistema Faeg Senar realiza o Programa Faeg Jovem, com os pilares de liderança, empreendedorismo e sucessão no Agro, estimula jovens a partir de 17 anos a realizar eventos técnicos e sociais, participar de capacitações exclusivas, desenvolver e implantar projetos de melhoria do campo e participar dos maiores eventos nacionais voltados ao agronegócio. Sendo a maior Federação Jovem do país, sua  metodologia é baseada em um Concurso entre os mais de 100 grupos de Faeg Jovem espalhados por todo Estado de Goiás com atuação direta de mais de 1000 participantes e novos produtores não só da atividade familiar, mas do Agro como um todo. Assim, transformamos possíveis herdeiros em sucessores capacitados, empreendedores e gestores de todo o processo: antes, dentro e depois da porteira.

Cejane Pupulin-Canal-Jornal da Bioenergia

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.