Energia solar no Brasil fica 10% mais barata no segundo trimestre, aponta estudo

Print Friendly, PDF & Email

Queda do dólar e polisilício acelerou a tendência de queda do preço da energia solar para projetos residenciais, diz pesquisa da Solfácil

A energia solar no Brasil está se tornando cada vez mais acessível para os consumidores. O preço médio por potência da energia solar para residências atingiu uma queda de 10% no último trimestre em relação ao primeiro trimestre de 2023, registrando o valor de R$/Wp 3,63. A queda de preços foi impulsionada por fatores como a redução do dólar e do polisilício, principal matéria-prima para produção de painéis solares, representando a maior redução desde o início do indicador Radar, pesquisa elaborada pela Solfácil, líder em soluções solares e maior ecossistema de energia solar da América Latina.

O estudo identificou que a região Centro-Oeste tem o preço médio mais barato do país, com R$/Wp 3,45, uma queda de 12%, comparado ao primeiro trismestre de 2023. Apenas no Distrito Federal os preços ficaram acima da média nacional, R$/Wp 3,70. Já nos outros estados do Centro-Oeste, foram registrados os seguintes valores: Mato Grosso do Sul (MS), R$/Wp 3,38, Mato Grosso (MT), R$/Wp 3,44 e Goiás (GO), R$/Wp 3,48.

“A redução do preço da energia solar representa um marco significativo para o desenvolvimento sustentável do país. Em 2023, vemos a tendência acelerada na queda de preço, iniciada no ano passado. Com preços mais acessíveis, mais pessoas poderão adotar a energia solar como uma fonte limpa e renovável, contribuindo para a preservação do meio ambiente e para a redução dos custos com energia”, declara Fábio Carraca, CEO e cofundador da Solfácil.

O Sudeste desponta como a segunda região com preços mais baixos da energia solar com R$/Wp 3,60, ultrapassando a região Sul. Os estados da região apresentam as seguintes médias de preços por potência: São Paulo (SP) R$/Wp 3,56, Minas Gerais (MG), R$/Wp 3,66, Espírito Santo (ES), R$/Wp 3,68, e Rio de Janeiro (RJ) R$/Wp 3,71.

Apesar de apresentar preços acima da média nacional, com R$/Wp 3,67, o Nordeste se destaca como uma das regiões mais atrativas para investir em energia solar, devido às condições geográficas da região. Entre o primeiro e segundo trimestre de 2023, todos os estados nordestinos registraram uma significativa redução de pelo menos 9% nos preços da energia solar.

O preço médio de cada estado do nordeste foi: Maranhão (MA) R$/Wp 3,64, Bahia (BA) R$/Wp 3,66, Piauí (PI) R$/Wp 3,61, Ceará (CE) R$/Wp 3,72, Rio Grande do Norte (RN) R$/Wp 3,56, Paraíba (PB) R$/Wp 3,70, Pernambuco (PE) R$/Wp 3,78, Alagoas (AL) R$/Wp 3,55, Sergipe (SE) R$/Wp 3,46. O estado de Sergipe se destacou com a maior queda de preço em todo o Brasil, alcançando uma redução expressiva de 23%.

Já a região Norte registra os maiores preços do Brasil, com R$/Wp 3,75. A diferença é maior para projetos até 8 kWp, que chegam a ser 0,25 R$/Wp mais caros que a média nacional. Os preços nos estados da região norte são os seguintes: Roraima (RR) R$/Wp 3,39, Amapá (AP) R$/Wp 3,36, Amazonas (AM) R$/Wp 3,89, Pará (PA) R$/Wp 3,92, Tocantins (TO) R$/Wp 3,47, Rondônia (RO) R$/Wp 3,23 e Acre (AC) R$/Wp 3,51.

Apenas o Amapá não registrou redução no preço no último trimestre, apesar de ter sido o estado com a maior queda (15%) entre o quarto trimestre de 2022 e o primeiro trimestre de 2023.

Na sequência, a região Sul apresenta a segunda energia mais cara do país, com R$/Wp 3,72, com os seguintes preços por potência: Paraná (PR) R$/Wp 3,51, Santa Catarina (SC) R$/Wp 3,83, Rio Grande do Sul (RS) R$/Wp 3,78.

Marcas de placas solares mais utilizadas
A Solfácil também analisou a escolha de marcas de inversores em diferentes regiões do Brasil. A Growatt segue como a principal marca de inversor do Brasil, mas perde influência para Deye. Por outro lado, a Goodwe ganha espaço em projetos menores, enquanto Solplanet cresce em usinas maiores. (Assessoria Solfácil)

Veja Também

Com quedas de temperatura e proximidade do inverno, instalações de painéis solares seguem aquecidas no País

Pelo mapeamento da franqueadora, foram instalados cerca de 200 mil sistemas fotovoltaicos em telhados nos …