BNDES aprova criação do Fundo de Energia Sustentável

Print Friendly, PDF & Email

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio de sua subsidiária de participações societárias, a BNDES Participações S.A. (BNDESPAR), aprovou nesta quarta-feira, 30, a criação do Fundo de Energia Sustentável, que terá como objetivo investir de forma ativa, em ofertas primárias e no mercado secundário, em debêntures incentivadas de projetos de infraestrutura, prioritariamente em ativos relacionados a uma economia de baixo carbono. O fundo será incentivado nos termos do artigo 3º da Lei 12.431, garantindo isenção para investidores pessoa física.

Com patrimônio de R$ 500 milhões e prazo de 15 anos, o Fundo de Energia Sustentável terá gestão privada e participação máxima de 50% da BNDESPAR como cotista. Um diferencial importante do Fundo é que o mesmo será o primeiro parceiro da Climate Bonds Initiative no Brasil, uma iniciativa sem fins lucrativos que busca incentivar a criação de instrumentos financeiros de apoio a soluções para a questão das mudanças climáticas.

Além de criar um novo veículo de financiamento a projetos de infraestrutura, com possibilidade de ser replicado pelo mercado, o BNDES espera, com essa iniciativa, incentivar a criação de um mercado de títulos verdes no Brasil, aumentar a base de investidores em infraestrutura e incrementar a liquidez de títulos de infraestrutura.

O BNDES estima um volume de emissões de debêntures de projeto de aproximadamente R$ 3,8 bilhões, sendo R$ 1,7 bi em projetos de energia eólica, nos próximos 18 meses. A associação de infraestrutura com “títulos verdes” permite conjugar uma necessidade do Brasil de investimentos em infraestrutura, com um desejo global crescente de investimentos ambientalmente sustentáveis. O mercado mundial de títulos verdes vem crescendo de forma mais acentuada nos últimos anos, os títulos emitidos atingiram a marca de US$ 36,6 bilhões em 2014, com projeções de atingir US$ 100 bilhões este ano (dados da Climate Bonds Initiative).

O fundo possibilitará aos seus investidores o acesso a uma carteira diversificada e gerida por um gestor profissional e experiente. Os títulos a serem adquiridos deverão ser de projetos de investimento em energia financiados prioritariamente pelo BNDES, tendo as garantias reais compartilhadas com o Banco.

O processo de seleção do gestor do Fundo de Energia Sustentável deverá ser concluído até o fim de março do ano que vem. Após a estruturação e captação dos investidores, o fundo deverá estar operacional até julho. O edital de seleção do gestor para estruturação do novo fundo será publicado nesta sexta-feira, 2, e estará disponível no site do BNDES.

Esta iniciativa do BNDES está em linha com a prioridade que o Banco confere às questões ambientais e ao desenvolvimento sustentável e se soma a outras, como o compartilhamento de garantias de projetos, no intuito de desenvolver o mercado de capitais de renda fixa e o financiamento privado de longo prazo.

 

 

BNDES

Veja Também

ANP publica metas preliminares de redução de emissões de gases causadores de efeito estufa para 2024

AANP torna públicas as metas preliminares para 2024 de redução de emissão de gases causadores do efeito estufa aplicáveis a …