Balança comercial goiana registra superávit de US$504 milhões em novembro

Print Friendly, PDF & Email
A balança comercial goiana registrou superávit de US$504 milhões em novembro deste ano, segundo dados do Ministério da Economia, divulgados nesta segunda-feira (05/12). Foram US$862 milhões em exportações e US$ 358 milhões em importações. Os indicadores colocam Goiás na 10º posição no ranking nacional de exportações no mês de novembro, enquanto que, nas importações, o Estado ocupa o 12º lugar.
Já no acumulado do ano, ou seja, entre janeiro e novembro de 2022, Goiás atinge saldo positivo de US$ 7,49 bilhões diante de US$13,068 bilhões em exportações e US$5,574 em importações, ocupando o 8º lugar nas exportações e o 12º no levantamento de produtos importados de outros países. Na comparação com o mesmo período de 2021, as exportações cresceram 52,43%, enquanto que as importações tiveram uma variação de 9,81%.
“Goiás segue bem nas relações de comércio exterior com bons saldos superavitários e, também, recordes de crescimento. Trabalhamos para avançar ainda mais nos próximos meses”, afirma o titular da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Joel de Sant’Anna Braga Filho.
Produtos
O complexo de soja segue como o principal no segmento exportação e cresceu de US$207,1 milhões arrecadados em novembro de 2021 para US$313,3 milhões em novembro deste ano. Os municípios que mais exportaram, em novembro, foram Rio Verde (28,09%), Jataí (8,47%) e Barro Alto (7,3%). O principal destino da carga foi a China, que importou 34,35% dos produtos goianos, seguido pela Indonésia (9,88%) e Coreia do Sul (4,93%).
Brasil
No país, a balança comercial brasileira registrou superávit de US$6,7 bilhões em novembro. Conforme os dados, as exportações somaram US$28,2 bilhões e as importações, US$21,5 bilhões. No acumulado do ano, houve saldo positivo de US$58,4 bilhões, com variação de 1,85%. SIC-

Governo de Goiás

Veja Também

Setor industrial e o consumo de energia

O setor industrial é tradicionalmente um dos maiores consumidores de energia no Brasil, sendo responsável …