Assassino invisível: 1 em cada 5 mortes em 2018 deveu-se à poluição do ar

Print Friendly, PDF & Email

A poluição do ar causada pela queima de combustíveis fósseis como carvão e petróleo foi responsável por 8,7 milhões de mortes em todo o mundo em 2018, uma impressionante proporção de uma em cinco de todas as pessoas que morreram naquele ano, descobriu uma nova pesquisa.

Os países com o consumo mais espantoso de combustíveis fósseis para abastecer fábricas, residências e veículos estão sofrendo as maiores taxas de mortalidade, com o estudo descobrindo que mais de uma em cada 10 mortes nos EUA e na Europa foram causadas pela poluição resultante, junto com quase terço das mortes no leste da Ásia, que inclui a China. As taxas de mortalidade na América do Sul e na África foram significativamente menores.

O enorme número de mortos é maior do que as estimativas anteriores e surpreendeu até mesmo os pesquisadores do estudo. “Inicialmente, ficamos muito hesitantes quando obtivemos os resultados porque eles são impressionantes, mas estamos descobrindo cada vez mais sobre o impacto dessa poluição”, disse Eloise Marais, geógrafa da University College London e coautora do estudo. “É generalizado. Quanto mais procuramos impactos, mais encontramos. ”

As 8,7 milhões de mortes em 2018 representam um “contribuinte chave para o fardo global de mortalidade e doenças”, afirma o estudo, que é o resultado da colaboração entre cientistas da Harvard University, da University of Birmingham, da University of Leicester e da University College London . O número de mortos excede o total combinado de pessoas que morrem globalmente a cada ano por fumar tabaco, mais aquelas que morrem de malária .

Os cientistas estabeleceram ligações entre a poluição do ar generalizada da queima de combustíveis fósseis e casos de doenças cardíacas , doenças respiratórias e até mesmo a perda de visão . Sem as emissões de combustíveis fósseis, a expectativa média de vida da população mundial aumentaria em mais de um ano , enquanto os custos econômicos e de saúde globais cairiam cerca de US $ 2,9 trilhões .

A nova estimativa de mortes, publicada na revista Environmental Research, é maior do que outras tentativas anteriores de quantificar o custo mortal dos combustíveis fósseis. Um importante relatório do Lancet em 2019 , por exemplo, encontrou 4,2 milhões de mortes anuais por poluição do ar proveniente de poeira e fumaça de incêndio florestal, bem como da combustão de combustível fóssil. Portal IstoÉ Dinheiro