Agrovoltaico: sistema melhora eficiência do solo e contribui para a sustentabilidade

Print Friendly, PDF & Email

Benefícios do modelo têm sido difundidos no setor para que a utilização dele seja cada vez mais comum

 

Recordes de calor em várias regiões do mundo, além de fortes chuvas como as que estão sendo vivenciadas pelo Rio Grande do Sul nos últimos tempos. Esses são só alguns exemplos das mudanças climáticas extremas que o planeta tem sofrido e ainda vai sofrer. Por isso, empresas privadas e gestões públicas se preocupam cada vez mais com a sustentabilidade.

Afinal de contas, essa é a única maneira de reduzir a emissão de gases de efeito estufa, que provocam o aquecimento global. E, neste contexto, um grande aliado pode surgir para impulsionar ainda mais essa prática em diferentes níveis: o agro, um dos setores que mais tem força na economia mundial.

Essa fomentação pode ocorrer principalmente diante de uma nova abordagem que tem sido difundida por empresários e profissionais da área. O agrovoltaico inclui fontes renováveis, uso sustentável do solo e proteção da biodiversidade.

O que é agrovoltaico?

O sistema agrovoltaico consiste na união entre a agricultura e o uso de energia solar fotovoltaica, uma das mais sustentáveis na atualidade. Na prática, as placas solares convivem com o cultivo na mesma superfície, garantindo um uso mais eficiente da terra.

Apesar de o conceito ter sido criado há mais de 40 anos, por Adolf Goetzberger, ele só saiu do papel e passou a ser utilizado em 2012.

Como funciona essa prática?

Painéis solares são instalados no chão em uma altura maior do que o comum. O objetivo, nesse caso, é deixar um espaço que seja suficiente para fazer uma produção de alimentos. A partir daí, os painéis fornecem eletricidade em sistemas isolados para a comunidade da região. Outra opção é conectá-los direto à rede de energia.

Vantagens do sistema agrovoltaico

Em termos ambientais, como citado acima, o sistema reduz a emissão dos gases de efeito estufa no setor agrícola, contribuindo (e muito) para uma melhora da sustentabilidade. Além disso, estudos apontam que a eletricidade gerada pelas placas aumenta em mais de 30% o valor econômico de explorações quando o desempenho do terreno é melhorado.

Isso acaba tendo uma importância maior quando se trata de locais em que o clima é muito quente, como nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. As sombras protegem os cultivos da temperatura, evitando que uma evaporação excessiva aconteça.

Por causa desses pontos positivos para o agricultor é que o status da energia solar no Brasil tem crescido cada vez mais. Além disso, há ótimas condições para a implementação do sistema na produção, tal qual o financiamento de energia solar.

 

Veja Também

Energia solar segue em expansão no Brasil

O relatório “Global Market Outlook For Solar Power 2024 – 2028”, elaborado pela SolarPower Europe, …