Agro em Dados de outubro destaca perspectiva positiva para produção de cana-de-açúcar em Goiás

Print Friendly, PDF & Email

A produção goiana de cana-de-açúcar deve crescer 2,8%, na comparação com o ciclo anterior, e atingir 72,5 milhões de toneladas na Safra 2022/2023. Confirmada a estimativa, o resultado mantém Goiás como segundo maior produtor de cana entre os Estados e o Distrito Federal. Na edição de outubro do Agro em Dados, o leitor encontra um panorama completo da atividade sucroalcooleira estadual e nacional. Além da cana-de-açúcar, o boletim traz análises, números e gráficos sobre bovinos, suínos, frangos, lácteos, soja e milho.

Entre as novidades da edição deste mês está um capítulo especial dedicado ao Produto Interno Bruto (PIB) de Goiás. Os indicadores mostram um crescimento do PIB goiano e brasileiro no segundo trimestre de 2022. Na comparação com o mesmo período de 2021, a agropecuária estadual registrou alta de 5,4%. Enquanto isso, o PIB da agropecuária nacional recuou 2,5%.

“Os números do PIB foram bastante impactados pelo desempenho dos grãos, sobretudo da soja, e Goiás se destacou nacionalmente neste quesito. Encerrou o ciclo como terceiro maior produtor de grãos e segundo maior produtor de soja do País”, destaca o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça. “Fomos menos impactados por fatores climáticos, e soubemos aproveitar o momento. O Governo apoiou, o produtor acreditou, e o resultado foi uma safra recorde”, completa.

Mendonça lembra também que há projeção de aumento da participação goiana no Valor Bruto da Produção (VBP) da agropecuária brasileira. Em 2019, o Estado respondia por 8,22% do VBP nacional. Em 2022, o percentual deve chegar a 8,94%. “Isso mostra que estamos no caminho certo. O Brasil é uma potência no agro, e Goiás ganha cada vez mais relevância neste setor essencial”, comemora. Seapa

Veja Também

SIAMIG Bioenergia e ONG Impar lançam Campanha de Prevenção a Incêndios Rurais

Na temporada de incêndios, quando a estiagem é mais rigorosa e o ar seco aumenta …