ABSOLAR fortalece atuação no território nacional com novos coordenadores no Acre, Mato Grosso e Pará

Print Friendly, PDF & Email

Conselho da entidade nomeou Daniel Sobrinho, da empresa DS Engenharia no PA, Tiago Vianna de Arruda, da empresa Oeste Solar Energia no MT, e Edlailson Pimentel da Silva, da EngeAmazon Energias Renováveis no AC

Proposta da entidade é reforçar a colaboração regional no desenvolvimento de políticas públicas e programas privados na área de energia solar

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) fortalece a atuação no território brasileiro com o anúncio de três novos coordenadores estaduais. O conselho da entidade acaba de aprovar a nomeação de Daniel Sobrinho, da empresa DS Engenharia e conselheiro federal do CONFEA, no Pará, Tiago Vianna de Arruda, da empresa Oeste Solar Energia, no Mato Grosso, e Edlailson Pimentel da Silva, da EngeAmazon Energias Renováveis e vice-presidente do CREA (AC), no Acre.

“A proposta da entidade com os coordenadores estaduais é reforçar a colaboração regional no desenvolvimento de políticas públicas e programas privados na área de energia solar, no sentido de promover o crescimento econômico e sustentável nos estados e, ao mesmo tempo, ampliar o mercado fotovoltaico de forma pulverizada no País. No total, a associação possui representação em nove estados brasileiros”, conta Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR.

O Acre acaba de atingir 1.063 conexões operacionais de energia solar em telhados e pequenos terrenos, espalhadas por 16 cidades, ou 72,7% dos 22 municípios da região. A tecnologia fotovoltaica já proporcionou ao estado a atração de mais de R$ 81 milhões em investimentos, geração de mais de 350 empregos e a arrecadação de mais de R$ 14 milhões aos cofres públicos.

O Mato Grosso possui 32.307 sistemas de energia solar na geração própria, espalhados por 141 cidades, ou 100% dos municípios da região. São mais de R$ 3 bilhões em investimentos, criação de mais de 14,1 mil empregos e a arrecadação de mais de R$ 571 milhões ao pode público.

No caso do Pará, há 13.378 conexões de energia solar em telhados e pequenos terrenos, espalhadas por 135 cidades, ou 93,75% dos 144 municípios da região. O setor trouxe de mais de R$ 851 milhões em investimentos, geração de mais de 4,5 mil empregos e a arrecadação de tributos de R$ 190 milhões à administração pública.

A ABSOLAR possui, desde o ano passado, coordenadores estaduais no Ceará, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais e Espírito Santo. A intenção da entidade é cobrir todos os estados da federação.  (Assessoria)