Usinas solares geram energia até dez vezes mais barata

Print Friendly, PDF & Email

Mesmo com a “taxação do sol”, energia solar ainda permanecerá como alternativa econômica

A energia solar está em pleno crescimento no Brasil. Segundo levantamento realizado pela Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), o Brasil ultrapassou a marca de 13 gigawatts (GW) de potência operacional em grandes usinas solares e sistemas fotovoltaicos de médio e pequeno portes instalados em telhados, fachadas e terrenos. Para se ter uma ideia do que isso significa, a Binacional Itaipu, uma das maiores usinas hidrelétricas do mundo, possui capacidade instalada de 14 GW. 

 As usinas solares de grande porte são a sexta maior fonte de geração de energia do Brasil e sua geração é até dez vezes mais barata do que as fontes elétricas, considerando sobretudo os constantes aumentos tarifários. 

Até 2025, a Aneel estima que os investimentos totais previstos nesse tipo de geração são de R$ 25,8 bilhões. 

O CEO da companhia pernambucana Elétron Energy, André Cavalcanti, fala sobre essa previsão. “Queremos investir mais de R$ 900 milhões em projetos de energias renováveis até 2024, além de consolidar outros projetos de fonte fotovoltaica, eólicas e hidrelétricas”, aponta Cavalcanti. A companhia planeja alcançar 1 milhão de consumidores em todo país, com conta média mensal de R $300,00 entre 2025 e 2026. Até a data, a empresa planeja investir R$ 1,6 bilhão em novos parques de geração solar.

 

“Existe um potencial gigantesco a ser desbravado quando falamos de energia solar. Mesmo considerando a “taxação do sol”, como está sendo chamado o Marco Legal da Geração Distribuída, sancionado pelo Governo Federal no início de janeiro de 2022, a energia solar ainda permanece sendo uma alternativa muito mais econômica, além de ser melhor para o meio ambiente”, ressalta André. 

Com a sanção da Lei nº 14.300/2022, no dia 7 de janeiro de 2022, o Marco Legal da Geração Distribuída institui na cobrança da conta de luz os custos da distribuição de energia solar daqueles que a geram em casa através do sistema on grid, sistema esse que é conectado à rede de distribuição de energia elétrica convencional. 

 Mesmo com a “taxação de sol” do novo Marco Legal da Geração Distribuída, quem já havia instalado o sistema de energia solar em casa antes da sanção da nova Lei ou quem realizar a instalação dentro de um prazo de 12 meses a partir da publicação da Lei, segue isento da tarifa na conta de luz até o ano de 2045. (Assessoria de imprensa)

 

Veja Também

Sistemas de energia solar ajudam na valorização dos imóveis

Nos últimos anos, os painéis solares vêm ganhando espaço nos telhados das residências brasileiras. Entre …