Startup de energia renovável reduz conta de luz em até 20%

Print Friendly, PDF & Email

A bandeira tarifária de escassez hídrica vai pesar ainda mais a conta de luz – que já tinha sido reajustada em junho. Para amenizar os altos preços, a startup de energia renovável Flora Energia (www.floraenergia.com.br) desenvolveu uma solução que gera a redução de até 20% dos gastos do consumidor – de forma simples e sem nenhum tipo de investimento.

A diminuição é possível graças ao sistema de Geração Distribuída, regulamentado pela Aneel desde 2015, onde as fazendas sustentáveis da Flora Energia produzem e injetam energia renovável na rede elétrica da distribuidora local, recebendo créditos de energia que são, então, repassados a seus clientes em forma de desconto na conta luz. “Temos a missão de tornar a energia renovável acessível, viabilizando a oferta para o consumidor residencial, simplificando a experiência com uma solução confiável, inovadora e econômica”, diz Roberto Cavalieri, um dos fundadores da empresa.

A Flora emite uma fatura à parte, referente ao consumo no mês – que é diretamente abatido da conta da concessionária, a qual continua sendo a responsável pela infraestrutura do fornecimento. A soma das duas faturas é sempre menor que a conta atual do usuário, gerando uma economia de até 20% em relação ao modelo tradicional. No site, a startup disponibiliza uma calculadora digital para simulação da redução: um consumidor CPFL Paulista que gasta R$ 200 por mês com energia tem uma economia anual na conta de R$ 240, além do impacto positivo para o meio ambiente: menos 188 kg de CO2 emitidos, o equivalente a 21 árvores plantadas.

Criada em 2020, a Flora Energia conta com distribuição ativa em mais de 300 municípios dos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro abastecidos pelas distribuidoras de energia CPFL Paulista, CPFL Santa Cruz e Light. A adesão aos serviços é simples, feita na plataforma digital, sem a necessidade de investimento, custos de manutenção ou estruturas contratuais complexas.

Bandeira tarifária não afeta fornecimento da Flora Energia

A bandeira de escassez hídrica, recém-anunciada pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), define o aumento de 49,6% acima da bandeira vermelha patamar 2 – que já tinha sido reajustada em 52% em junho, no início da época das secas. Segundo o governo federal, tal decisão foi tomada devido à crise hidrológica, em que os reservatórios das principais usinas estão baixos e afetam a produção de eletricidade nas hidrelétricas – principal fonte geradora de energia elétrica do Brasil. Para aumentar a geração de energia, é preciso acionar as usinas termoelétricas, que têm custo mais alto, e este valor é repassado ao consumidor.

Tais oscilações não são afetam a conta da Flora Energia, que não sofre impacto das variações das operadoras. Assim, enquanto a bandeira de escassez hídrica, que vigora até 30 de abril de 2022, elevou o valor de R$ 9,49 para R$ 14,20 a cada 100 kilowatt-hora (KWh) consumidos, os clientes da Flora percebem benefícios ainda maiores, uma vez que o valor do crédito se mantém. “Além do desconto principal na fatura, garantimos que o custo de energia não terá exposição a esses aumentos”, reforça Cavalieri. Divulgação