SJC encerra safra

Print Friendly, PDF & Email

Este ano os eventos de clima impactaram nos resultados. A seca prolongada, a geada e as queimadas nos canaviais da região Centro-Sul impactaram com redução na ordem de 12,49% na moagem da cana, de acordo com dados da UDOP. Na SJC Bioenergia, apesar dos limites e desafios impostos pelo clima, fechamos a safra de cana moendo 6,8 milhões de toneladas.
“Tivemos o maior período de estiagem nos últimos 5 anos. A isso se somou a ocorrência da geada que impactou severamente na qualidade da cana colhida e, por consequência, em nossa performance”, resumiu Carlos Rodrigues da Cunha Junior, Gerente Corporativo Agrícola.
Mesmo com esses desafios, houve fatores positivos que superamos apesar desses eventos. Segundo Carlos Jr, o investimento em novas tecnologias como o uso de drones, piloto automático, estações meteorológicas e controle biológico trouce excelente desempenho ao longo da safra.
Além disso, houve significativa melhora de rendimento operacional com programas sobre o desempenho em produção das colhedoras e dos caminhões por meio de controles diversos, como o de consumo de combustível. “Apesar dos desafios dos eventos climáticos e redução de TCH, conseguimos bons indicadores operacionais. Sabemos que reunimos condições de evoluir ainda mais no que depender de nosso time”, finaliza Renan Santos Florentino, Gerente de Processos Agrícolas. Assessoria de imprensa