Foto: Faeg

Senar Goiás inicia aulas do curso Técnico em Agronegócio

Print Friendly, PDF & Email

As novas turmas do curso Técnico em Agronegócio em Goiânia, Cristalina, Itumbiara e Rio Verde iniciaram as aulas no último sábado, 12 de agosto. Os alunos receberam informações sobre grade curricular do curso, além de orientações sobre a forma de condução das aulas nos próximos dois anos. Desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás), o curso é realizado 80% na modalidade semipresencial, online, e 20% presencial, inclusive com visitas técnicas. O diploma de nível técnico é reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e registrado pelos Conselhos Regionais de Engenharia (Creas).

Na capital goiana, onde o processo seletivo ocorreu pela primeira vez, a concorrência foi a mais alta do país. Os candidatos disputaram uma vaga com 911 outros inscritos, ou seja, sendo quase 23 pessoas disputando cada uma das 40 vagas. Em todo o país, foram 14.239 inscritos no processo seletivo do curso Técnico em Agronegócio. Ao todo, foram oferecidas 2.055 vagas, em 57 polos distribuídos em 19 estados.

De acordo com o superintendente do Senar Goiás, Antônio Carlos de Souza Lima Neto – que fez a abertura da aula em Goiânia -, o curso é gratuito e representa oportunidade para quem quer se qualificar e atuar no mercado. “O setor tem crescido e isso desperta cada vez mais o interesse da população, que enxerga no agronegócio a chance de conseguir uma vaga no mercado de trabalho.  Por isso, a quantidade de pessoas que participaram do processo seletivo em Goiás”, afirma.

Erick Jhonnatan Alcântara de Oliveira é um dos aprovados no curso no polo de Goiânia. Natural de Grajaú (MA), mas morando na capital goiana desde 2011, Erick participou da aula inaugural, na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), e acredita que o curso será um diferencial de mercado. “Tenho interesse em fazer Mestrado em Direito Agrário e o curso serve de incentivo”, diz. Já Luasmym de Oliveira Costa busca no curso a qualificação necessária para atuar no campo. “Cresci em fazendas e sempre tive o contato com esse universo. Agora quero trabalhar com gestão de propriedade rural, porque é um nicho que tem tido demanda”, esclarece.

Mercado

Com 1.230 horas/aula, o curso Técnico em Agronegócio alia teoria à prática, garantindo a experiência prática em aulas presenciais nos polos da rede ou no campo, realizadas, geralmente, a cada 15 dias. O currículo é estruturado de modo que, ao concluírem o curso, os alunos estejam prontos para atuar em diferentes segmentos das cadeias produtivas do agronegócio. “O profissional técnico em agronegócio pode atuar no setor de produção agrícola ou pecuária, no setor de fornecimento de insumos de comercialização para produção e também na parte de logística de marketing, de armazenamento. Enfim, ele tem ampla área de atuação, especialmente em gestão, podendo trabalhar em empresas comercias, cooperativas, associações em propriedades rurais. A remuneração financeira é valorizada, mas pode variar de acordo com o tipo de trabalho e da região, em torno de R$ 3 mil”, explica o gerente de Educação Formal do Senar Goiás, Fernando Couto.

 

Assessoria de imprensa Faeg