foto ilustrativa

Programa Goiás Solar já está em vigor

Print Friendly, PDF & Email

O Programa Goiás Solar já está em vigor. A iniciativa, lançada oficialmente este mês, leva em conta o fato de Goiás ter um elevado índice de incidência solar e consequentemente possui alto potencial para a geração e o consumo dessa energia limpa e renovável.

Para o presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Rodrigo Sauaia o Governo Estadual está saindo à frente da maioria dos estados brasileiros ao apostar nessa nova tecnologia. De acordo com Sauaia, o Programa Goiás Solar é uma grande oportunidade para o estado atingir objetivos estratégicos de sustentabilidade, como a redução de CO2 na atmosfera.

A meta do governo é levar o Programa Goiás Solar para todas as regiões do estado, fomentando o uso de energia solar em áreas urbanas e rurais, aumentando a participação desse tipo de energia na matriz energética. O presidente da Goiás Fomento, Henrique Tibúrcio, ressalta que a empresa de economia mista ampliou de R$ 50 mil para R$ 200 mil a linha de financiamento para empresas de energia solar fotovoltaica. “A Goiás Fomento viu que, com essa linha de crédito, nós teríamos um projeto que toda instituição financeira quer financiar, pois se trata de uma economia visível, com inadimplência muito baixa. É algo palpável. Portanto, a Goiás Fomento teve todo interesse em aprovar o mais rápido possível essa ampliação no limite de crédito. Como já dito aqui, a Energia Solar é uma tecnologia que precisa ser disseminada para toda a sociedade”, ressaltou Tibúrcio.

O Programa Goiás Solar é parte do esforço do Governo para a elaboração de políticas públicas e adoção de medidas que incentivem o consumo e a geração de energias limpas e renováveis, especialmente a solar, valorizando os recursos naturais estratégicos para o crescimento sustentável da economia goiana, o desenvolvimento de novos negócios, a geração de empregos, a preservação ambiental e o incentivo da cadeia produtiva.

Os principais pontos do programa são:

– Criação da linha de crédito FCO SOL, com lançamento programado para o primeiro semestre de 2017;

– Simplificação do licenciamento ambiental para os empreendimentos de energia solar fotovoltaica;

– Instalação de placas de geração de energia fotovoltaica nas casas de habitação social.

 

Canal-Jornal da Bioenergia com dados do Goiás Agora