Portal Solar Franquia prevê selecionar 600 novos franqueados em 2022

Print Friendly, PDF & Email

Com a conta de luz nas alturas, Brasil chega oficialmente ao 1º milhão de consumidores utilizando a energia solar em telhados e terrenos

Modelo de franquia home-office é a melhor opção para quem quer empreender em um negócio lucrativo e com baixo investimento

 

Com a conta de luz nas alturas, o Brasil chegou oficialmente ao 1º milhão de consumidores com energia solar em telhados e terrenos. A geração própria de energia cresceu 122% no último ano, saltando de 450 mil em janeiro de 2021 para 1 milhão de clientes atendidos em residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos.

Segundo o CEO do Portal Solar Franquia, Rodolfo Meyer, a recente criação de uma lei 14.300/22 dará mais segurança aos investidores e consumidores. “Estamos em um ano super favorável para quem pensa em trabalhar com energia solar ou investir na compra de um sistema. Hoje temos 130 franqueados parceiros e nossa meta é selecionar mais 600 unidades em 2022”, afirma o executivo.

O Portal Solar Franquia recebe cerca de 1 mil interessados por mês. Com o investimento inicial de R$ 36,6 mil, o franqueado pode atingir o faturamento de R$ 30 mil já no terceiro mês de operação, recuperando o investimento entre 4 e 7 meses. O lucro médio pode variar entre 20% e 35% sobre o faturamento bruto. “Somos muito criteriosos na escolha dos nossos parceiros. Em 2021 tivemos uma média de aprovação de 25 candidatos por mês e devemos aumentar significativamente esse resultado neste ano”, completou o executivo.

Atualmente, a energia solar atende a todas as classes de consumo do Brasil e é vista como uma grande alternativa para redução de gasto, alívio do orçamento das famílias e aumento da competitividade das empresas, já que a conta de luz é um dos maiores vilões da inflação brasileira. Em 2021, a tarifa de energia elétrica subiu 21% segundo o IBGE. Esse cenário deve se repetir em 2022 pelos cálculos da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, a projeção é passar dos atuais 13 GW de capacidade instalada fotovoltaica, somando centralizada e distribuída, para quase 25 GW até o final de 2022, colocando a tecnologia como protagonista na expansão das fontes renováveis no país e no combate as mudanças climáticas. A entidade projeta que o mercado poderá gerar mais de 357 mil novos empregos e somar R$ 50,8 bilhões em investimentos privados no País ao longo do ano.

“Devemos dobrar o mercado de geração própria (GD) em telhados e terrenos o Brasil, passando de 8,3 GW para mais de 17 GW até o final de 2022”, afirma Meyer, que também é membro do Conselho de Administração da ABSOLAR.

De acordo com o levantamento, os consumidores que utilizam a energia solar na geração própria representam apenas 1,1% do total de estabelecimentos com conta de luz no país, hoje com 89 milhões de unidades. “A geração solar feita pelos consumidores é atualmente uma das principais alternativas contra os reajustes tarifários na conta de luz e alivia o orçamento do cidadão neste período de escassez hídrica. A criação do marco legal, além de ampliar os investimentos no país, vai estimular a entrada de novos empreendedores no segmento de energia solar”, conclui Meyer. (Assessoria de imprensa)

Veja Também

Presença feminina na bioenergia ganha espaço, inclusive em cargos de liderança

Maior evento do setor no mundo, Fenasucro & Agrocana reflete mercado: elas marcam presença crescente …