Lemon Energia chega a Goiás para atender a pequenas e médias empresas, por meio de parceria com a Navi Energias Sustentáveis

Print Friendly, PDF & Email

A Lemon Energia e a Navi Energias Sustentáveis (NES) anunciam hoje uma parceria para a gestão de oito fazendas solares espalhadas em três estados brasileiros. O acordo permite que a NES conte com uma gestão digital e especializada de parte do seu portfólio de usinas solares. Já a Lemon Energia reforça seu marketplace que conecta produtores de energia sustentável a pequenos e médios negócios dentro do segmento de geração distribuída (GD).

Com a operação, a Lemon estreia uma nova praça de atuação, Goiás, e reforça a atuação em três distribuidoras em que já opera – CPFL Paulista e Elektro (São Paulo) e Light (Rio de Janeiro). O acordo tem o potencial de até dobrar o número de clientes finais que usam o serviço da Lemon, que hoje somam mais de 4 mil. Ao mesmo tempo, permite à Navi a gestão dos créditos de energia que serão produzidos nas usinas.

O acordo ocorre pouco mais de seis meses após dois marcos importantes para as duas companhias: em junho do ano passado, a Lemon Energia levantou R$ 60 milhões em uma rodada Series A para expandir os negócios, com aportes da Kaszek e Lowercarbon, fundo norte americano que investe em startups de impacto ambiental.

Também em junho do ano passado, a Navi, uma gestora de investimentos com R$ 8 bilhões sob gestão, lançou seu fundo de geração distribuída com foco na implantação e operação de fazendas solares. A área de infraestrutura da Navi é liderada por Guilherme Albuquerque, ex-BNDES e Accenture, e Guilherme Sassi, ex-project finance no Santander.

Hoje, os pequenos negócios que assinam o serviço da Lemon obtêm descontos de 10% a 20% por mês na fatura de luz. Criada em 2019, a startup está presente em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e, agora, Goiás.

Os clientes finais são sempre pequenos e médios negócios. Boa parte dos consumidores da Lemon são pontos de vendas da Ambev. As duas empresas são parceiras desde 2020 e a Ambev também é uma das investidoras da startup. As duas companhias têm uma meta conjunta de levar energia limpa para 250 mil pontos de venda da Ambev.

Os mais de 4 mil clientes da Lemon já economizaram R$ 7,3 milhões com a adoção de uma energia mais limpa e barata e evitaram a emissão de 5,6 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

As oito fazendas solares, já em construção avançada pela Navi, estão nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás e totalizando até 41 MWp de geração de energia, o que equivale ao consumo de 42 mil residências, aproximadamente. A expectativa é que todos os projetos estejam operacionais até o 3° trimestre deste ano. Neste momento, sete usinas vão integrar o marketplace da Lemon Energia, mas há possibilidade de expandir a parceria.

“Este acordo é uma grande oportunidade para a Lemon expandir sua presença no mercado de energia solar e aumentar a oferta de soluções de energia sustentável para nossos clientes. A NES é uma parceira estratégica e acreditamos que essa colaboração será muito benéfica para ambas as empresas”, afirma Rafael Vignoli, CEO e fundador da Lemon Energia.

A NES também comentou sobre o acordo. “Estamos investindo no desenvolvimento da nossa área de infraestrutura e a parceria com a Lemon faz parte desse processo, ajudando a democratizar o acesso a energia barata aos pequenos consumidores. Acreditamos que a gestão de usinas solares é um caminho importante para atingir nossos objetivos de sustentabilidade, por ser uma das principais formas de se investir na descarbonização da matriz energética e contribuir para um futuro cada vez mais sustentável para todos nós”, afirma Guilherme Albuquerque, co-CIO de Infraestrutura na Navi.

Como funciona?

A Lemon não distribui nem vende energia e, sim, faz a ponte entre usinas (solares, a biogás ou pequenas hidrelétricas) e pequenos comércios que desejam economizar na conta de luz e contribuir para limpar a matriz energética do país. Com isso, não é preciso adquirir placas solares nem alterar a instalação do local, já que, na prática, a operação funciona como um aluguel de um pedaço de um gerador de energia sustentável.

As usinas de geração renovável associadas à Lemon injetam energia sustentável no sistema de distribuição, gerando créditos que são abatidos das contas dos consumidores que aderiram ao serviço da startup.

Depois de aderir ao serviço, cada cliente final segue pagando a conta à distribuidora, mas apenas com as taxas e encargos. E passa a receber uma nova conta, da Lemon, com o desconto de energia.

Para a usina, a vantagem de se associar à Lemon é conquistar mais clientes e aumentar seus retornos, além de contar com uma gestão profissional de seus processos de cobrança e gestão de créditos e portfólio. (Assessoria)

 

 

Veja Também

Empreendedores no Nordeste levam energia solar a mais consumidores com facilidade de financiamento

Parceria entre a plataforma Meu Financiamento Solar e a Summers Energia viabiliza cerca de dez …