Jalles Machado é bem classificada pela Fitch Ratings 

Print Friendly, PDF & Email

Modelo implantado contemplou uma planta energeticamente econômica, com tecnologia confiável e consagrada no mercado. O escopo da fábrica de açúcar alcançou todas as premissas do processo

A Fitch Ratings atribuiu, em abril deste ano, que o modelo de negócios da Jalles Machado está acima da média, em comparação com o dos pares, e deverá se fortalecer com a construção de uma nova unidade de produção de açúcar.

A nova unidade foi construída em 2016 na Unidade Otávio Lage (UOL), de Goianésia, GO, e contemplou um projeto detalhado de implantação de uma fábrica de açúcar com conceito modular. O Projeto foi executado pela Reunion Engenharia em um modelo EPCm, no qual foi possível uma redução de 20% em relação ao preço de mercado e um tempo de retorno inferior a uma safra.

“É uma satisfação muito grande ter conhecimento de que o Projeto implantado na UOL atingiu as expectativas da Companhia, pois o modelo EPCm é um modelo de gestão que busca a redução de riscos, economia e maior qualidade à implantação”, disse o CEO da Reunion Engenharia, Tercio Dalla Vecchia.

Ainda na análise da Fitch, a Companhia conseguirá, então, se beneficiar de uma carteira maior de produtos de alto valor agregado, que inclui açúcar orgânico e cristal de marca. A capacidade de produção de energia da Jalles Machado, por meio de suas plantas térmicas de biomassa, também favorece o perfil de crédito, devido ao seu fluxo de caixa mais estável.

A Fitch acredita que a Jalles Machado apresentará fluxo de caixa livre (FCF) positivo nos próximos quatro anos. Entretanto, os investimentos na nova fábrica de açúcar e nos canaviais para aumentar a capacidade de moagem da companhia para 5 milhões de toneladas, de 4,6 milhões de toneladas, deverão ter impacto negativo no fluxo de caixa nos exercícios de 2017 e 2018.

Momento certeiro – Em 2016, o setor sucroenergético atravessava uma fase benéfica em relação ao açúcar, em decorrência da alta valorização do produto no mercado interno e externo. A maior prova de que o setor sinalizava uma recuperação foi a crescente demanda por projetos de ampliação de moagem e implantação da fábrica de açúcar em plantas de alguns Estados como Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Goiás.

O CEO da Reunion Engenharia recorda que a ação da UOL foi justamente no momento em que a commodity seguia uma tendência de manter alta nos preços e as fábricas de açúcar estavam na mira dos empreendedores ativos.

 

 

Assessoria de imprensa