Governo do Pará e ABSOLAR discutem programa para ampliar uso da fonte solar no estado’

Print Friendly, PDF & Email

Na visão da entidade, política pública poderá acelerar a atração de investimentos, geração de empregos e renda e criação de novas oportunidades de negócios sustentáveis na região

O Governo do Pará, com o apoio técnico da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), estuda criar um programa específico para ampliar o uso de energia solar fotovoltaica na região. A proposta foi discutida esta semana, durante reunião entre o Governo do Pará, liderada pelo governador Helder Barbalho e pela vice-governadora Hana Ghassan Tuma e a ABSOLAR, liderada pelo presidente executivo da ABSOLAR, Rodrigo Sauaia, e o coordenador estadual da entidade no Pará, Daniel Sobrinho, acompanhados por suas respectivas equipes. Durante o encontro, a ABSOLAR também declarou seu apoio à candidatura do Estado do Pará e de sua capital, Belém, para sediar a COP30 (Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas), em 2025.

As discussões abordaram as principais estratégias necessárias para acelerar a atração de novos investimentos, geração de empregos e renda e criação de oportunidades de negócios em energia solar no Pará. A reunião também abordou formas de reduzir os gastos com eletricidade em prédios públicos estaduais por meio de energia solar, capaz de fortalecer a sustentabilidade e o protagonismo do estado no enfrentamento das mudanças climáticas.

Na ocasião, a ABSOLAR propôs a criação de um programa estadual, abrangendo aprimoramentos tributários, acesso facilitado a linhas de crédito competitivas, simplificação do licenciamento ambiental, incorporação de sistemas fotovoltaicos em novos prédios públicos e casas populares, entre outras ações.

“O estado do Pará possui um potencial imenso para energia solar, mas ainda pouco aproveitado. Por isso, a implantação de um programa estadual é passo fundamental para acelerar o uso da tecnologia na região. Trata-se de medida estratégica para incentivar a população, pequenos negócios, produtores rurais e gestores públicos a reduzir seus gastos com energia elétrica, por meio da geração de sua própria eletricidade solar, mais barata, mais sustentável e sem emissões de gases de efeitos estufa. Com isso, será possível atrair novos investimentos, movimentar a economia local, trazer mais empresas e gerar novos empregos de qualidade no Pará”, esclarece Rodrigo Sauaia, presidente executivo da ABSOLAR.

Além de acelerar o desenvolvimento social, econômico e ambiental, o setor acredita que as medidas propostas podem ajudar a democratizar o acesso à tecnologia solar aos consumidores paraenses. “A política pública poderá ter papel importante em prol do desenvolvimento sustentável da região, contribuindo para aumentar a competitividade de produtos e serviços paraenses e aliviando o orçamento das famílias. É, também, uma iniciativa alinhada à agenda mundial de enfrentamento das mudanças climáticas”, destaca Sauaia.

Atualmente, a geração própria solar no Pará abrange mais de 51,2 mil consumidores, com mais de 44,7 mil sistemas instalados em telhados, fachadas e pequenos terrenos, espalhadas por 142 cidades, ou 98,6% dos 144 municípios paraenses. Desde 2012, o setor solar trouxe ao Pará mais de R$ 2,6 bilhões em novos investimentos, gerou mais de 15,1 mil novos empregos e proporcionou uma arrecadação de mais de R$ 690 milhões aos cofres públicos. (Assessoria)

 

Veja Também

Fenasucro & Agrocana abre credenciamento para edição histórica de 30 anos

A Fenasucro & Agrocana, reconhecida como a Feira Mundial da Bioenergia, inicia nesta segunda, dia …