FCO Rural aprova 50 cartas e mais de R$ 40 milhões em recursos

Print Friendly, PDF & Email

Cinquenta cartas-propostas ao Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) foram aprovadas, na última sexta-feira (29/01), durante a 357ª Reunião da Câmara Deliberativa do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE/FCO). É a primeira reunião da Câmara em 2021 e a expectativa é da liberação de R$ 40,6 milhões em recursos na modalidade Rural, com a geração de 83 novos postos de trabalho formal.

A maior parte dos recursos é voltada para pequenos produtores (56%) e pequeno-médios produtores (38%). Em relação à atividade contemplada, 57% do montante aprovado deve ser destinado à produção de soja e milho, seguido por investimentos em bovinocultura (29%), avicultura (7%) e produção de feijão (7%). Os recursos devem financiar itens como máquinas e implementos, matrizes, energia fotovoltaica, benfeitorias, irrigação, correção de solo, pastagens e reprodutores.

As 50 cartas-propostas aprovadas contemplam produtores de 32 municípios goianos. Orizona foi o município com o maior número de cartas aprovadas, num total de quatro propostas, e Rio Verde, Jataí e Britânia tiveram três cartas-proposta aprovadas, cada um.

Com duas cartas aprovadas, em cada município, também estão na lista: Vianópolis, Diorama, Corumbaíba, Paraúna, Mineiros, Catalão, Uruaçu, Serranópolis e Caiapônia. Com uma proposta aprovada em cada um, estão: Pilar de Goiás, Iaciara, Santa Isabel, Montividiu, Campinaçu, Quirinópolis, Edealina, Itaberaí, Ipameri, Aporé, Cachoeira Dourada, Piranhas, Monte Alegre de Goiás, Itumbiara, Joviânia, Inaciolândia, Goiatuba, Posse e São Domingos.

Representando a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), responsável pela análise técnica das cartas na modalidade rural do FCO, participaram da reunião o superintendente de Produção Rural Sustentável, Donalvam Maia, e a gerente de Inteligência de Mercado, Juliana Dias Lopes. Segundo avalia o superintendente da Seapa, a primeira reunião deste ano começa de forma bastante positiva com a aprovação desse montante. “É um valor considerável de investimentos, destinados conforme avaliação do Governo de Goiás, e que vão contribuir para o crescimento da produção agropecuária em 32 municípios por todo o Estado”, ressalta.

Donalvam destaca que a medida, além de gerar renda e emprego, contribui para o avanço de atividades importantes para Goiás, como a produção de grãos, a bovinocultura e a avicultura. “Em 2020, conseguimos atender mais produtores que no ano anterior e nossa expectativa é expandir ainda mais essa atuação em 2021”.

Comunicação Setorial da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) – Governo de Goiás