Entrevista/Igor Montenegro-Diretor Superintendente Do Sebrae Goiás - 1
Divulgação Sebrae

Entrevista/Igor Montenegro-Diretor Superintendente do Sebrae Goiás

Print Friendly, Pdf &Amp; Email

 

Igor Montenegro Celestino Otto acredita que as pequenas empresas são o futuro do país. Para o ex-secretário das Cidades e ex-presidente da Agência de Comunicação (Agecom), o foco do Sebrae para 2016 será desenvolver os empreendedores individuais, capacitando o maior número de empresários possíveis.

Quais os avanços do Sebrae em Goiás no ano de  2015?

Assumi a gestão na Diretoria Executiva do Sebrae Goiás em janeiro de 2015. Foi um ano intenso e repleto de desafios para o país no tocante aos aspectos político, econômico e social. As micro e pequenas empresas de forma muito dinâmica, por ser um segmento que têm a agilidade na gestão empresarial e por se tratar de pequenos negócios, finalizaram 2015 com ganhos e perdas.

O Sebrae Goiás, por sua vez acompanhou toda esta movimentação, inaugurou novos pontos de atendimento com a instalação de novas agências pelo interior, levando toda a sua estrutura técnica e intensificou suas ações itinerantes de atendimento às empresas. Exemplificamos com os atendimentos presencias e virtuais, consultorias, ações de mercado com as missões empresariais dentro e fora do Brasil. O Sebrae Goiás levou seus serviços e produtos e todas as regiões do estado, por meio do programa “SEBRAE Aqui”, do movimento “Compre do Pequeno Negócio “ da Semana da Inovação, só para citar três exemplos de ações realizadas.

Na Capital e Região Metropolitana, o Sebrae realizou tanto as ações de atendimento presencial, atividades nos bairros, como atuou de forma coletiva na capacitação de empreendedores com a realização de três grandes palestras sobre os temas de inovação, liderança e gestão.

Destacamos que todas as ações do Sebrae foram realizadas com parceiros fundamentais para alcançarmos resultados e ampliarmos a possibilidade de atender o maior número de pequenos negócios instalados. Contabilizamos cerca de 300 mil micro e pequenas empresas e empreendedores individuais formalizados em Goiás. Este é o universo dos clientes diretos do Sebrae. Mas, além destes temos ainda os potenciais empreendedores que ainda não formalizaram seus negócios e são clientes que o Sebrae atende por meio da sua programação.

Os indicadores dos pequenos negócios dão conta de que existem 10 milhões de empresas, incluindo  microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas;  95% das empresas do país são representadas pelos pequenos negócios; 52% dos empregos formais gerados no país estão nas pequenas empresas; 17 milhões de vagas com carteira assinada; 27% do PIB brasileiro vêm dos pequenos negócios; R$ 334 BILHÕES de arrecadação com tributos municipais, estaduais e federais foram gerados pelas pequenas empresas, desde a implantação do Super Simples em 2007.

As dificuldades a superar são de ter recursos técnicos e financeiros para que possamos atender a totalidade dos nossos clientes. Acreditamos que podemos vencer tais dificuldades ampliando nossas ações em parceria com as entidades empresariais, instituições de ensino e pesquisa, parceiros públicos e organizações não governamentais.

Quais as expectativas para 2016?

As nossas expectativas e metas para 2016 estão redimensionadas, em virtude do plano plurianual do Sistema Sebrae.

Para cumprir com sua missão, o Sebrae terá de ampliar suas ações e serviços, atendendo um maior número de empresas e capacitando os empresários para que possam melhorar sua atuação na gestão de seus negócios e continuar com as portas abertas, gerando renda, emprego e produzindo para o seu próprio desenvolvimento e do Brasil. Vamos atuar ainda mais com foco na inovação e na sustentabilidade dos pequenos negócios, de forma que eles possam crescer, desenvolver de empreendedores individuais (são aqueles que faturam até R$ 60 mil/ano) para microempresas (são os que faturam até R$ 360 mil/ ano) e assim por diante. O segmento dos pequenos negócios pode esperar um ano de muitos desafios, levando em consideração as estatísticas e previsões dos economistas.

Os pequenos e médios empresários podem também contar com o apoio do Sebrae que oferece soluções para o fortalecimento e o desenvolvimento das empresas.

CANAL-JORNAL DA BIOENERGIA