Atvos amplia plantio com semente artificial de cana-de-açúcar em colaboração com Syngenta

Print Friendly, PDF & Email

Expectativa com nova tecnologia é que 800 mil toneladas de cana-de-açúcar antes utilizadas no plantio sejam destinadas à produção de etanol e energia elétrica

A Atvos, segunda maior produtora de etanol do país, concluiu, em Nova Alvorada do Sul, no Mato Grosso do Sul, o plantio de cinco novos hectares de cana-de-açúcar cultivados com a semente artificial Emerald, desenvolvida pela Syngenta. No início da safra 2020/2021, foram colhidos em Mirante do Paranapanema, interior de São Paulo, os primeiros três hectares dessa fase piloto de utilização da tecnologia que encapsula células vegetativas, protegendo-as de riscos físicos e ambientais.

“A expansão da parceria se deu pelo desenvolvimento positivo em São Paulo, com falhas inferiores a 3%. A adoção da Emerald integra nossa estratégia de identificar iniciativas inovadoras no aumento da produtividade. É uma fase inicial, mas estamos otimistas com o potencial”, adianta Rodrigo Vinchi, vice-presidente agrícola da Atvos.

Com a semente artificial, a Atvos estima que futuramente, mais de 800 mil toneladas de cana que seriam plantadas, sejam destinadas à produção de etanol e energia, contribuindo para aumentar a produtividade das unidades. Estima-se ainda uma redução de custos com um número menor de equipamentos mobilizados no plantio mecanizado, como colhedoras e transbordos.

A expectativa da Atvos com esse novo sistema é simplificar o processo de plantio. Com a eliminação da necessidade de grandes áreas de viveiros, outro benefício esperado é a melhoria na contabilidade da Intensidade de Carbono da cadeia produtiva da empresa, a partir da redução do volume de emissões de gases do efeito estufa com a colheita e o transporte da cana-muda até a área a ser cultivada. (Assessoria de imprensa)