Home » Bioenergia » A poluição do ar pode estar te deixando doente.
Unicamp

A poluição do ar pode estar te deixando doente.

Print Friendly, PDF & Email

 O Climatempo, site especializado em previsão do tempo, divulgou um material sobre os efeitos da poluição do ar para as pessoas. Segundo a matéria,  mais de 8 milhões de mortes por ano, no mundo inteiro, tem como causas diretas ou indiretas a poluição do ar. Esses dados são de um recente estudo da OMS, que ainda traz outros dados alarmantes: 92% das pessoas no mundo inteiro não estão respirando um ar saudável e estão expostas a níveis de poluição considerados nocivos à saúde.

A pesquisa da OMS mostrou também que pelo menos 3,7 milhões dessas mortes estão relacionadas com a poluição do ar causada pela queima de combustíveis em veículos, indústrias e usinas termelétricas.

 

Outras fontes de poluição do ar são aquelas criadas pelo ser humano e, em sua maioria, envolvem a queima de combustíveis. Indústrias, queimadas na agricultura, usinas, caminhões, ônibus, e o seu carro ou moto estão entre os principais vilões da atmosfera. Sprays, aerossóis e solventes também têm sua parcela de participação para a poluição, inclusive para o aparecimento de buracos na camada de ozônio.

 

 

Segundo o material divulgado pelo Climatempo, a poluição do ar pode causar sérios problemas respiratórios e cardíacos.  A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é em exemplo e causa a destruição dos alvéolos pulmonares. Como consequência, ela pode desencadear infecções e inflamações em todo o sistema respiratório. A Asma, tem grande influência genética, mas a poluição do ar é um agente que favorece o aparecimento de crises. A Bronquite aparece a partir de alergias e causa a inflamação aguda ou crônica dos brônquios. O câncer de pulmão é uma das doenças que mais mata por causa da poluição do ar , principalmente se este estiver contaminado por Material Particulado (MP). O MP tem a capacidade de se infiltrar no sistema respiratório e penetrar nos pulmões.

De maneira geral, os problemas respiratórios, tanto os mais complexos quanto os mais simples, compartilham alguns sintomas em comum em suas fases iniciais. Ao detectar um ou mais dos sintomas abaixo, principalmente em crianças e idosos, busque imediatamente orientação médica.

– Dificuldade para respirar

– Tosse (seca ou com catarro)

– Sensação de aperto no peito

– Chiado ao respirar

– Dor nas costas (ao respirar ou crônica)

– Congestão nasal

– Coriza

– Perda de apetite

– Fraqueza e perda de peso

– Perda de fôlego durante atividades físicas

A matéria do Climatempo lembra ainda que só identificar os sintomas não leva a um diagnóstico claro de qual doença está se desenvolvendo e apenas um médico especialista pode diagnosticar e prescrever o tratamento correto.

 

Canal -Jornal da Bioenergia com Climatempo