Home » Sucroenergético » Retrospectiva 2016/CerradinhoBio mantém ritmo de crescimento em Goiás
Divulgação Cerradinho

Retrospectiva 2016/CerradinhoBio mantém ritmo de crescimento em Goiás

Print Friendly, PDF & Email

Os expressivos resultados obtidos na última safra têm motivado a companhia localizada em Chapadão do Céu, Goiás, a dar continuidade ao plano de expansão. A liberação do financiamento pela International Finance Corporation (IFC), braço financeiro do Banco Mundial no valor de R$ 150 milhões, deve suportar a finalização do projeto de cogeração de energia da empresa, que já conta com o apoio da linha Inova Sustentabilidade do BNDES.  O investimento totaliza aproximadamente R$ 300 milhões e tem previsão de conclusão em março de 2017. A partir daí, a capacidade de exportação de energia cogerada será ampliada para 750 GWh. A expectativa é incentivar, inclusive, o desenvolvimento de outras fontes de biomassa, além do bagaço e palha de cana-de-açúcar, reduzindo as emissões de dióxido de carbono de cerca de 280.000 toneladas por ano.

O desembolso do dinheiro está previsto para este mês, com um prazo total de 10 anos, sendo 3 de carência. A expansão do parque industrial e da cogeração devem aumentar o relacionamento com agricultores da região, fortalecendo o desenvolvimento local. De acordo com a IFC, a corporação apoia e contempla empresas como a CerradinhoBio, que se mostram competitivas no mercado do agronegócio e comprometidas com a sustentabilidade social e ambiental. Ainda na visão da IFC, o setor sucroenergético é, também, chave para o crescimento da economia brasileira e para a geração de empregos.

Desde que se instalou no sudoeste goiano, em 2009, a unidade tem superado suas marcas. Na safra 2015/16, um intenso esforço de otimização de seus ativos, fez com que a reduzisse o período de entressafra em 23,2% para 2015/16, com pausa para manutenção de apenas 43 dias. Com isso, a moagem registrada no período foi recorde: 4,8 milhões de toneladas de cana processadas, um aumento 16,9% superior ao período anterior. O montante total orçado para a safra 2016/17 é de 5,0 milhões de toneladas, valor correspondente a novo recorde para a usina.

Produtividade agrícola e de colheita – A produtividade agrícola é referência no Brasil, mantendo-se acima de 100ton/ha desde a safra 2012/13 (na safra 2015/16 o valor atingido foi de 108ton/ha). O intenso planejamento agrícola adotado tem assegurado um resultado superior à média do setor. Como reflexo, a produtividade das colheitadeiras atingiu 812ton/máquina/dia na safra 2015/16. A empresa considera que o indicador de produtividade anual das colheitadeiras (ao invés de diário) retrata melhor a realidade já que também compreende a capacidade de extensão da safra.

ATR (Açúcar Total Recuperável) – Mais uma vez, o regime de chuva em Goiás manteve-se em linha com as médias históricas e, mesmo com uma safra mais longa que a anterior, em 2015/16, o ATR da cana-de-açúcar foi 1,7% superior. Este dado é ainda mais significativo quando considerado que a CerradinhoBio também possui uma das safras mais longas do setor – 322 dias em 2015/16 – estendendo a colheita para meses de menor desempenho.

Produção de etanol – A produção de etanol atingiu a marca de 402 mil m³, o que significa um aumento de 18,1% no comparativo safra contra safra, reflexo do aumento de moagem e ganho de ATR.

Cogeração de energia elétrica – O bom desempenho da planta industrial também provocou reflexos na produção de bioeletricidade. A exportação foi elevada em 23,1% entre 2014/15 e 2015/16 (269GWh) e deve garantir novo incremento, de 43,4%, para a safra 2016/17. Destaca-se que do total de energia disponibilizado no sistema em 2015/16, 64,9% foi vendido no âmbito de contratos de leilão de energia, valor que deve aumentar para 75,8%% na próxima safra. Em paralelo, foi concluída a sua terceira fase de expansão, com aumento da capacidade instalada de cogeração de energia de 70MW para 160MW.

Desempenho Financeiro – A receita bruta de etanol hidratado, que representou 92,1% da receita bruta total da usina na safra 2015/16, atingiu R$706,7 milhões, um aumento de 45,0% em relação ao ano anterior, ocasionado tanto pelo aumento de volume vendido, como pelo aumento de preço. Destaca-se o efeito positivo da estratégia de “carrego de etanol” adotada pela empresa, com a manutenção de estoques altos para venda durante a entressafra, responsável por capitalizar um ganho de 21,8% no preço bruto do etanol entre as safras de 2014/15 e 2015/16.  A participação da cogeração de energia nos negócios da companhia foi de 6,9% da receita bruta em 2015/16.

Governança – Em junho de 2016, Paulo Oliveira Motta Júnior assumiu a presidência da CerradinhoBio. A chegada do executivo em 2015, complementa a última etapa do plano de governança corporativa aprovado pelo Conselho Administrativo, que teve início em 2010. Hoje, o Conselho de Administração é composto por três membros da família Sanches Fernandes e três conselheiros independentes. O empresário Luciano Sanches Fernandes agora se dedica exclusivamente à presidência do Conselho.